Operação Piracema iniciou e segue até o próximo dia 31 de janeiro

Divulgação/3º BABM

Durante a temporada da Piracema, essencial para a reprodução dos peixes, o 3º Batalhão Ambiental (BABM) está em ação na bacia hidrográfica do Rio Uruguai, reforçando a fiscalização para proteger os ecossistemas aquáticos.

Receba nossas notícias pelo WhatsApp

A Operação Piracema 2023/2024, que acompanha esse período crucial que vai até 31 de janeiro de 2024, mobilizou equipes tanto em atividades aquáticas quanto terrestres. O foco principal é preservar áreas ambientais e combater a pesca predatória, mantendo a saúde dos ecossistemas aquáticos.

Em São Borja, a remoção de 250 metros de redes de pesca do leito do Rio Uruguai por policiais militares evidencia o compromisso com a preservação dos recursos hídricos. Nas localidades de Roque Gonzales, Dezesseis de Novembro e São Luiz Gonzaga, a atuação se concentrou na fiscalização dos 28 quilômetros no lago artificial da Usina Hidrelétrica (UHE) Passo São João, buscando inibir práticas de pesca ilegal.

Já em Doutor Maurício Cardoso, a operação foi realizada nas águas do Rio Uruguai, na fronteira com a Argentina. Lá, foram apreendidos 920 metros de espinhel, 680 metros de redes de pesca e 33 armadilhas para captura do Dourado, uma espécie ameaçada de extinção com pesca proibida durante todo o ano. Além das apreensões, mais de 50 espécies de peixes foram liberadas após estarem presas nas redes.

A proibição da pesca durante a Piracema inclui o uso de redes, tarrafas, espinhéis, molinetes e barcos a motor, visando à proteção dos recursos naturais. Durante esse período de proteção ambiental, os pescadores profissionais recebem o seguro-defeso, um suporte governamental essencial para a preservação dos ecossistemas aquáticos.

Fonte: Assessoria de Imprensa do 3º Batalhão Ambiental