Demandas para inclusão de alunos autistas é tema de reunião com o governo estadual

Nara e Luciana entregaram demandas a representante do vice-governador – Foto: Divulgação/Nara Mendes

As demandas de estrutura e profissionais das escolas estaduais de São Luiz Gonzaga foram tema de reunião entre a vereadora Nara Mendes (MDB), a presidente da Associação Unidos para o Amanhã, Luciana Zaleski, e representantes do vice-governador do Estado, Gabriel Souza (MDB). O atendimento de pessoas autistas com a presença de monitoras em salas de aula foi uma das cobranças feita junto ao governo gaúcho.

Receba nossas notícias pelo WhatsApp

Em relação às questões de infraestrutura, Nara Mendes menciona a falta de sistemas elétricos adequados e de climatizadores no Colégio Rui Barbosa. “Levamos esse pedido da direção da escola Rui Barbosa e também um pedido bastante especial que é a questão dos monitores para acompanhamento dos autistas na rede estadual”, explicou a vereadora.

Tema principal do encontro, os monitores que realizam o chamado atendimento educacional especializado (AEE) colaboram na inclusão e na acessibilidade das práticas pedagógicas para pessoas com deficiência. No Brasil, a legislação destaca a importância da educação inclusiva e regulamenta esse atendimento nas salas de aula.

Mãe de uma criança autista, Luciana relata as dificuldades na busca por atendimento para o filho e também o diálogo com outros pais que enfrentam o mesmo. “A escola tem um monitor para atender várias demandas e, além de tudo, ainda às vezes há outras escolas que pedem o suporte desse monitor”, aponta a presidente da Associação Unidos para o Amanhã.

Pela Lei Brasileira de Inclusão (LBI), as pessoas com deficiência têm direito a terem conteúdos e provas adaptadas, no entanto, a falta de profissionais especializados na área cria uma barreira ao aprendizado dessas crianças. “são demandas que temos muito anseio enquanto pai, porque nosso filho está lá. Ele está lá sofrendo junto conosco, porque a gente quer que o aluno tenha o mesmo aprendizado. E eles são capazes. Gosto muito de dizer que o autismo não é doença. Isso as pessoas têm que entender”, destaca Luciana.

A intenção, segundo Nara Mendes, é seguir buscando a inclusão e a presença desses profissionais na rede estadual. No próximo dia 6 de abril, está programa uma caminhada em prol da causa e em alusão ao Dia Mundial da Conscientização do Autismo, celebrado em 2 de abril.

Fonte: Rádio São Luiz