Pompeo de Mattos defende medidas financeiras para auxiliar famílias e estado após desastre

Foto: Divulgação/Câmara dos Deputados

O deputado federal Pompeo de Mattos (PDT) concedeu entrevista à Rádio São Luiz FM 100.9 após reunião da bancada gaúcha, em evento promovido pela Federação dos Municípios do Rio Grande do Sul (Famurs), em Brasília. O tema principal da conversa foi o auxílio para os municípios e pessoas atingidas pelo desastre climático no Estado.

Receba nossas notícias pelo WhatsApp

Pompeo ressaltou a dimensão da tragédia, que cerca de 90% dos municípios do RS e afetou mais de 2,3 milhões de pessoas. “Temos ações efetivas, recursos já destinados para os municípios”, comentou, fazendo referência a flexibilização aprovada pelo Congresso Nacional para liberar recursos às cidades atingidas.

O deputado destacou a necessidade de facilitar o acesso aos auxílios emergências pelas famílias e, em um segundo momento, pensar em políticas públicas para prevenir outras situações semelhantes. “Quem está no estado de calamidade no mínimo deve receber mais uma parcela FPM (Fundo de Participação dos Municípios”, destacou Pompeo. A proposta também é uma pauta defendida pelos gestores da região na 25° Marcha dos Prefeitos.

Durante a entrevista, o deputado também defendeu outras medidas como a suspensão do pagamento de empréstimos consignados pelas pessoas afetadas pelas enchentes. Outro tema tratado na conversa foi a renegociação da dívida do Rio Grande do Sul com a União. Segundo ele, por conta dos juros acumulados ao longos dos anos, a dívida se tornou impagável.

“Nesses 26 anos (desde a primeira renegociação) pagamos R$46 bilhões e de uma dívida de R$9 bilhões, devemos R$96 bilhões. A prestação paga por mês é menor que o juro gerado naquele mês”, descreveu Pompeo. De acordo com ele, a liquidação dos juros e a anistia do valor devido pelos próximos três anos são duas medidas essenciais para auxiliar o estado neste momento.

Fonte: Rádio São Luiz