Assembleia mantém proibição da venda de bebidas em estádios

jpg (3)

Deputados mantiveram veto a projeto que iria liberar venda de bebidas em estádios 

O veto do governador Eduardo Leite (PSDB) sobre o projeto que autoriza a retomada da venda de bebidas alcoólicas nos estádios foi mantido pela Assembleia Legislativa na tarde desta terça-feira, por 46 votos a cinco.

A legislação estadual que proíbe a comercialização e o consumo dentro dos estádios vigora desde abril de 2008, a partir de um projeto do então deputado estadual Miki Breier (PSB), hoje prefeito de Cachoeirinha. Mas texto aprovado em dezembro do ano passado permitiria o consumo de bebidas alcoólicas até o primeiro tempo das partidas e após o fim do jogo. O projeto foi idealizado pelos deputados Gilmar Sossella e Ciro Simoni, ambos PDT e que não ocupam mais vagas no parlamento gaúcho.

A deputada Luciana Genro (PSol), afirmou que o manter o veto é fundamental para ocorram menos violências nos estádios. “É a decisão mais acertada. O álcool dentro dos estádios acaba incentivando crianças a beberem e acaba por ajudar a aumentar o nível de violência das torcidas”, comentou. .

Já o deputado Giuseppe Riesgo (Novo) afirmou ser lamentável não ter bebidas alcoólicas durante os jogos, pois conforme suas análises muitos torcedores bebem no entorno dos estádios. Segundo ele, há a expectativa que seja criada uma comissão para que o assunto siga em debate e daqui a quatro meses ocorra uma nova votação. Além dele, os deputados Issur Koch (PP), Gaúcho da Geral (PSD), Dalciso Oliveira (PSB) e Fábio Ostermann (Novo) também votaram pela derrubada do veto.

Novelletto vê risco a clubes menores

Para o presidente da Federação Gaúcha de Futebol, Francisco Novelletto, o Inter e o Grêmio são clubes que não precisam desta receita para manter a verba dos clubes, entretanto para os clubes menores o “dinheiro que circula na copa faz consegue ajudar o time a se manter durante o ano”.

CORREIO DO POVO