Rural

Presidente do STR São Luiz Gonzaga e Rolador fala sobre reunião que discutiu os altos custos de produção

Rafael Dalenogare Paz (Foto: Kelvin Morais/Rádio São Luiz)

São Luiz Gonzaga – O presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de São Luiz Gonzaga e Rolador, Rafael Dalenogare Paz, comentou sobre o encontro promovido pela Fetag na segunda-feira, 22, em Porto Alegre, com a Comissão de Agricultura da Câmara Federal. A reunião teve como pauta a discussão sobre a expressiva suba nos custos de produção.

Receba as nossas notícias no WhatsApp

Os participantes buscavam entender os motivos da subida tão acentuada que, em alguns casos, chega a 160%. Dalenogare alerta que essa deve ser uma preocupação de toda a sociedade, pois “refletirá no bolso do consumidor”.

Segundo o presidente, representantes das indústrias foram convidados para explicar os motivos das elevações, contudo, de última hora, acabaram não comparecendo, o que causou estranheza nos produtores. Também preocupou a ausência de maior representatividade dos parlamentares. Conforme Rafael, apenas Heitor Schuch (PSB), Elvino Bohn Gass (PT), José Nunes (PT) e Elton Weber (PSB) estiveram presentes ou enviaram representante.

O grupo cobra medidas emergenciais do governo federal, critica o fechamento de fábricas de fertilizantes e busca audiência com o Ministério da Agricultura. Na próxima segunda-feira, a Fetag, entidade representante da classe, deverá ser recebida pela ministra Tereza Cristina.

Por Kelvin Morais

Fonte: Rádio São Luiz

Paulo Pires comenta a classificação da Coopatrigo no ranking “500 Maiores do Sul”

Paulo Pires (Foto: Arquivo/Rádio São Luiz)

São Luiz Gonzaga – A Coopatrigo mais uma vez figura na lista das 500 maiores empresas do sul do país, englobando, portanto, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul. O levantamento é de uma revista especializada na área.

Receba as nossas notícias no WhatsApp

Paulo Pires, presidente da cooperativa, destaca que esta referência mostra a ascensão que vem de, no mínimo, 20 anos, fazendo com que a Coopatrigo alcance hoje 20 municípios e mais de 600 mil hectares de área de plantio. A análise ora divulgada leva em conta os números de 2020. Assim, para o próximo ano, a projeção é de faturamento ainda maior.

“A cooperativa é um orgulho para todos nós, principalmente para a comunidade. A cooperativa pertence à comunidade”, destacou Paulo Pires, acrescentando a visão do cooperativismo que é de estar envolvido nos grandes acontecimentos da sociedade.

O gestor reforçou que o agro vem de “ciclos extraordinários”, o que favorece o desenvolvimento regional. Neste ponto, ele comentou que as administrações dos municípios, citando o prefeito Sidney Brondani, de forma especial, “estão fazendo um trabalho que precisa ser reconhecido”. “Sabemos que tem muito a fazer ainda, como estradas, mas temos que reconhecer que o setor público vem fazendo um trabalho extraordinário e por isso São Luiz está diferente”, pontuou.

Projetando 2022, Paulo Pires mostrou preocupação com a questão climática, informando que não há previsão de grandes períodos de chuva, mas lembrando que “chuva abaixo do normal não quer dizer frustração de safra”. É preciso que essas chuvas, mesmo espaçadas, sejam uniformes na região.

O presidente concluiu falando sobre a suba “assustadora” dos custos de produção. “A rentabilidade de inverno já será menor. É um recado, uma realidade que cada vez impõe que o produtor seja ainda mais eficiente”, concluiu.

Por Kelvin Morais

Fonte: Rádio São Luiz

Sindicato dos Trabalhadores Rurais de São Luiz Gonzaga e Rolador participa de debate sobre custos de produção

(Divulgação)

Porto Alegre – A Federação dos Trabalhadores na Agricultura no Rio Grande do Sul (Fetag-RS) sediou ontem, 22, em sua sede, na capital do estado, um importante debate com foco nos custos de produção. O Sindicato dos Trabalhadores Rurais de São Luiz Gonzaga e Rolador esteve presente.

Receba as nossas notícias no WhatsApp

Na pauta, o aumento de 160% na uréia, 139% nos fertilizantes, 22% na ração, 53% no diesel, 64% na gasolina e 49% na energia elétrica. A alta nos preços, que atinge a praticamente todos os setores, está afetando, de modo especial, o setor produtivo, responsável pelo milho, trigo, arroz, feijão, leite e hortigranjeiros que chegam à mesa da população.

Foi como intuito de debater a situação e cobrar medidas de apoio que a audiência pública com a Comissão de Agricultura da Câmara foi realizada. A direção foi do deputador federal Heitor Schuch, juntamente com a Fetag, Fecoagro, Sescoop e participação do deputado federal Elvino Bohn Gass.

Houve grande presença de líderes e dirigentes sindicais. “O momento é crítico e a próxima safra está em risco. Vai faltar comida no Brasil”, alertou a Fetag em nota.

Fonte: Assessoria de Comunicação

Ranking 500 Maiores do Sul relaciona 18 cooperativas gaúchas

(Divulgação)

Sicredi e Coopatrigo figuram na relação

São Luiz Gonzaga – O Grupo Amanhã e a PwC Brasil anunciaram na noite de quinta-feira, 18, em evento transmitido pelo canal do YouTube do Grupo, os resultados do ranking 500 Maiores do Sul. Em sua 31ª edição, o ranking relaciona 18 cooperativas gaúchas entre as 500 maiores.

Receba as nossas notícias no WhatsApp

O anuário destaca empresas líderes do Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná, além das 500 consideradas emergentes, tomando como referência o desempenho econômico no exercício de 2020. O levantamento divide as empresas agraciadas em 37 setores , com a participação de cooperativas do Rio Grande do Sul em quatro setores específicos: Cooperativas de Produção, Financeiro, Saúde, e Transporte e Logística.

500 Maiores do Sul

Juntas, as 500 empresas faturaram em 2020 R$ 737,4 bilhões, valor 18,7% maior que o do exercício de 2019. A soma dos patrimônios das 500 alcançou no ano passado R$ 394,2 bilhões, um avanço de 22,2%. Também em 2020, o lucro líquido das 500 saltou 41,7%, para R$ 71,6 bilhões. Veja abaixo as 18 coops que representam o Rio Grande do Sul no anuário:

Sicredi – Consolidado (4º)

Unimed Porto Alegre (61º)

Cotrijal (72º)

Cotrisal (77º)

Languiru (120º)

Cotripal (124º)

Coopatrigo (144º)

Cotrijuc (169º)

Unicred RS (184º)

Unimed Nordeste RS (185º)

Camnpal (197º)

Cotricampo (200º)

Coagrisol (216º)

Cotrisel (240º)

Unimed Vale do Taquari e Rio Pardo (295º)

Unimed Vale dos Sinos (314º)

Termasa Rio Grande (CCGL) (325º)

Unimed Santa Maria (370º)

100 Maiores do RS

Entre as 100 Maiores do RS, 15 coops marcam presença e ressaltam o impacto do movimento cooperativo no desenvolvimento econômico e social do Estado. Confira a seguir a relação:

Sicredi – Consolidado (1º)

Unimed Porto Alegre (24º)

Cotrijal (28º)

Cotrisal (31º)

Languiru (47º)

Cotripal (50º)

Coopatrigo (60º)

Cotribá (61º)

Cotrijuc (69º)

Unicred RS (74º)

Unimed Nordeste RS (75º)

Camnpal (79º)

Cotricampo (80º)

Coagrisol (85º)

Cotrisel (94º)

500 Emergentes

Unimed Pelotas (516º)

Sescoop/RS (542º)

Unimed Ijuí (560º)

Cazuza Ferreira Energética S/A – Certel (947º)

Certel Rastro de Auto Geração de Energia S/A – Certel (971º)

Cooperativas de Produção

Cotrijal (15º)

Cotrisal (16º)

Languiru (21º)

Cotripal (22º)

Coopatrigo (23º)

Cotribá (24º)

Cotrijuc (25º)

Camnpal (27º)

Cotricampo (28º)

Coagrisol (29º)

Cotrisel (31º)

Financeiro e Saúde

No setor Financeiro, o destaque fica para o Sicredi – Consolidado e a Unicred RS, que figuram respectivamente na primeira e 13ª posições.

Já no setor de Saúde, cinco Unimeds gaúchas aparecem na relação:

Unimed Porto Alegre (1º)

Unimed Nordeste RS (8º)

Unimed Vale do Taquari e Rio Pardo (18º)

Unimed Vale do Sinos (19º)

Unimed Santa Maria (23º)

No setor de Transporte e Logística, o terminal portuário Termasa aparece no 16º lugar. Ele pertence a CCGL e está situado à margem oeste do canal de acesso ao Porto de Rio Grande.

Fonte: Site Sistema Ocergs/Sescoop-RS

Informativo divulga orientações aos agricultores para evitar acidentes com a rede elétrica no momento do plantio ou colheita

(Divulgação)

Região já teve incidentes que, inclusive, resultaram em morte

São Luiz Gonzaga – O informativo do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de São Luiz Gonzaga e Rolador de sexta-feira, 19, trouxe, por meio do assessor de comunicação da Cermissões, Vanes Della Flora, orientações aos agricultores da região para prevenir incidentes com a rede elétrica. A preocupação é que agora, motivados pelas chuvas dos últimos dias, haverá intensificação do trabalho para o plantio da soja, aumentando o fluxo de maquinas nas lavouras, assim como também foi na colheita do trigo, que alguns ainda estão fazendo.

Receba as nossas notícias no WhatsApp

As máquinas e equipamentos estão cada vez maiores, o que pode resultar no contato com a rede. Por isso, é necessário planejamento e levantamento da área. Veja algumas dicas importantes:

– Planejar e fazer o levantamento da área, observando se o equipamento mantém uma distância segura da rede;

– Caso os fios estejam próximos, não se aproximar e em hipótese alguma tocar nos cabos;

– Ao manusear as máquinas, desvie dos estais (cabo de aço que prende o poste ao chão);

– Ao manobrar para carga e descarga de caminhões, por exemplo, é muito importante manter distância mínima de 5 metros de qualquer estrutura elétrica;

– Caso o veículo encoste na rede, o operador jamais deve tentar sair do maquinário. O correto é chamar socorro, acionar a Cermissões, que irá desligar o fornecimento antes de resgatar o condutor;

– Nunca estacionar máquinas agrícolas abaixo da rede elétrica;

– Cuidar para não tocar na rede elétrica quando subir em alguma árvore;

– Muito cuidado com equipamentos de irrigação, não deixando os jatos de água dos irrigadores atingirem os fios elétricos;

– Nunca se aproximar ou tocar em cabos elétricos caídos no chão. O mais adequado é sinalizar a área e acionar a Cermissões (0800 541 11 22);

– Não fazer queimadas perto das linhas de transmissão ou de distribuição.

Por Kelvin Morais

Fonte: Rádio São Luiz/Sindicato dos Trabalhadores Rurais de SLG-Rolador/Cermissões

Vice-presidente e assessor de comunicação da Cermissões visitam entidades são-luizenses para divulgar ações da cooperativa

Luiz Oneide, Diomedes e Vanes durante entrega de agenda e calendário para a São Luiz

São Luiz Gonzaga – O vice-presidente da Cermissões, Diomedes Rech, e o assessor de comunicação, Vanes Della Flora, em nome do presidente Diamantino Marques dos Santos, visitaram ontem, 18, entidades e instituições de São Luiz Gonzaga.  O encontro, que deve se repetir em outros 26 municípios da área de abrangência da Cermissões, foi para divulgar ações da cooperativa e estreitar os vínculos de parceria com as lideranças da comunidade ao fim de mais um ano.

Receba as nossas notícias no WhatsApp

A agenda incluiu passagem pela Câmara de Vereadores e Prefeitura. Conforme Diomedes, as conversas vêm sendo proveitosas. Ele também disse estar feliz por visualizar que todas as prefeituras estão investindo.

Sobre o ano da Cermissões, o vice-presidente comentou que a cooperativa está encerrando o ano bem. São várias obras, em várias frentes, principalmente na área da irrigação.

Vanes Della Flora também falou. Disse que tem se empenhado para difundir tudo o que ocorre na cooperativa aos mais de 31 mil associados. Ele agradeceu a parceria da São Luiz, destacando a força do veículo rádio para o contato com a comunidade regional.

Por Kelvin Morais

Fonte: Rádio São Luiz

Roque Gonzales: Programa de fomento ao setor leiteiro deverá entrar em vigor em 2022

(Divulgação)

Roque Gonzales – Na sexta-feira passada, 12, o Executivo de Roque Gonzales se reuniu com equipe técnica da EMATER/RS, Sindicato dos Trabalhadores Rurais – STR e técnicos do setor para definir os critérios do novo programa de fomento ao setor leiteiro a partir do ano de 2022. Por ser uma área de grande potencial, a iniciativa deve beneficiar aproximadamente 142 produtores rurais com produção comercial do leite.

Receba as nossas notícias no WhatsApp

Nos próximos dias, o projeto de lei deverá ser encaminhado para a Câmara de Vereadores e apresentado ao Conselho Municipal Agropecuário para vigência a partir do próximo ano.

Fonte: Assessoria de Comunicação da Prefeitura de Roque Gonzales

Coopatrigo inicia Programa troca-troca de sementes de trigo

(Divulgação)

São Luiz Gonzaga – Cumprindo com os seus objetivos de proporcionar o planejamento das atividades dos seus associados, a Coopatrigo abriu nesta terça-feira, dia 16 de novembro, o período para o programa troca-troca de sementes de trigo para a safra 2022.

Receba as nossas notícias no WhatsApp

O associado terá até o dia 10 de dezembro para comparecer na sua Unidade de trabalho e efetuar o negócio destinando trigo indústria por semente fiscalizada e tratada industrialmente para ser retirada no plantio da próxima lavoura de trigo. As proporções de troca e demais regras estão disponíveis nas Unidades e levam em conta a cultivar escolhida pelo associado.

Segundo o Engenheiro Agrônomo Fabio Hauschild, que é o responsável técnico pelas Sementes Coopatrigo, o programa troca-troca da Coopatrigo é uma excelente oportunidade para o associado ir fixando seu custo de produção, principalmente diante o grande aumento dos insumos que vem ocorrendo ultimamente. “O planejamento com compras antecipadas é uma das maneiras de o produtor enfrentar esta situação de aumento dos custos de produção e a semente é o insumo básico para a formação das lavouras”, disse Fábio Hauschild, acrescentando que o clima é positivo e otimista entre os triticultores ao final da safra deste ano, apesar de a safra não ter sido normal, com problemas climáticos durante o seu desenvolvimento.

Para o associado que não possui mais saldo de trigo a faturar e deseja fazer o negócio, a Coopatrigo também está oportunizando a compra à vista com as condições e proporções também disponíveis nas Unidades.

Por Roberto Marques – Assessor de Comunicação Coopatrigo

PRF apreende mais de meia tonelada de agrotóxico contrabandeado e recupera veículo em Mata

(Divulgação/PRF)

Caminhonete havia sido locada e não devolvida

Mata – Na noite de quarta-feira, 3, na BR 287, na cidade de Mata, a Polícia Rodoviária Federal aprendeu cerca de 550 kg de agrotóxicos contrabandeados do Uruguai, que estavam sendo transportados em uma caminhonete Strada.

Receba as nossas notícias no WhatsApp

Em atividade de repressão ao crime, com apoio do serviço de inteligência, policiais rodoviários federais abordaram uma caminhonete Strada, que deslocava pela BR 287, no sentido São Vicente do Sul para São Pedro, porém o motorista desobedeceu e seguiu na rodovia, sendo acompanhado até a cidade de Mata, onde abandonou o veículo e fugiu para o matagal, não sendo localizado.

Na caçamba do veículo foram encontrados diversos agrotóxicos, de produção estrangeira. Foram contabilizados 550 kg de fungicidas e herbicidas. Foi verificado que a caminhonete possuía um registro de apropriação indébita, pois foi locado e não devolvido dentro do prazo.

O veículo e a carga foram apresentados na Delegacia de Polícia Federal em Santa Maria, para posterior instauração de Inquérito Policial.

Fonte: Assessoria de Imprensa da PRF

Coopatrigo terá coletor de esporos de ferrugem e oídio

(Divulgação/Coopatrigo)

São Luiz Gonzaga – A Rede Técnica Cooperativa, através de uma parceria com a companhia Basf, vai instalar uma série de coletores de esporos de ferrugem e oídio e a Coopatrigo será uma das Cooperativas que terá este equipamento instalado na sua área de abrangência.

Receba as nossas notícias no WhatsApp 

Nesta semana, o Engenheiro Agrônomo Rafael Hentz, da Coopatrigo, participou de um treinamento na CCGL Tec, onde recebeu orientações sobre a realização deste serviço de monitoramento que será desenvolvido para identificar as condições para o desenvolvimento destas duas doenças e, também, a existência de esporos que indicam a presença das doenças na região.

As doenças da cultura da soja são um dos fatores bióticos que limitam a obtenção de altos rendimentos da cultura. Os danos ocasionados por essas doenças podem variar de ano para ano e de região para região, dependendo de cada safra, sendo que algumas delas podem ocasionar perdas bastante severas se não ocorrer o controle preventivo.

A Rede Técnica Cooperativa, criada para unificação dos procedimentos técnicos das cooperativas, vai centralizar este monitoramento recebendo as informações de todos os coletores e informando se existem esporos circulando, a fim de que as áreas técnicas das cooperativas orientem os associados sobre as condições para não se descuidarem com os seus manejos.

Por Roberto Marques – Assessor de Comunicação Coopatrigo