Destaques Principais

Deputado Jeferson Fernandes destaca discurso contraditório do novo presidente eleito no Brasil


O deputado estadual reeleito Jeferson Fernandes (PT), em entrevista ao programa Olho Vivo desta quinta-feira, avaliou o resultado das eleições 2018.

Sobre o pleito no RS e o fato do Partido dos Trabalhadores ter ficado de fora do segundo turno, bem como da eleição do candidato do PSL, Jair Bolsonaro, à presidência da República, Jeferson salientou que vem construindo uma síntese para explicar o momento, o qual, segundo ele, “o país se dividiu entre aqueles que sentiram saudades dos governos Lula e Dilma e aquele grupo que não só rejeita o PT, mas que rejeita a política tradicional, tanto que vários partidos tradicionais, como o MDB, PDT e PSDB, foram quase anulados nessa eleição”, exemplificou.

FAKE NEWS E POLÊMICAS – Sobre a eleição de Bolsonaro e de vários candidatos do partido, o parlamentar disse que “o PSL, seguindo a onda da polarização contra o PT, acabou por tirar várias cadeiras significativas dos partidos tradicionais”. Para Jeferson, a utilização de novas ferramentas de propagação de campanha, como o WhatsApp, juntamente com o fenômeno das Fake News, foram determinantes para que o candidato que representou a extrema direita viesse a lograr êxito: “Víamos um candidato que não tinha tempo de televisão, vindo do baixo clero de Brasília e, acima de tudo, com discursos e posicionamentos polêmicos. E a eleição desse candidato só foi possível pela grande propagação de sua campanha e de fake News através dos grupos de WhatsApp”, pontuou Jeferson.

REFLEXÃO SOBRE O MOMENTO – Para o parlamentar, a derrota do partido no pleito poderá gerar um momento de reflexão profunda no PT: “Agora é a hora de analisar a situação e corrigir os nossos erros. Iremos continuar defendendo a democracia e os direitos do nosso povo, uma vez que o presidente eleito já deu sinais de ser contraditório, pois, nem bem encerrou o pleito, Bolsonaro já pautou com Michel Temer uma reforma da previdência nos mesmos moldes que o projeto encaminhado durante o último governo. Da mesma forma, o discurso de ética e de combate à corrupção também parece ter caído por terra, pois Bolsonaro anuncia que vai chamar o juiz Sérgio Moro para ser seu ministro e, por outro lado, arregimenta dois futuros ministros de seu governo envolvidos até o pescoço com corrupção, que é o caso do Onyx Lorenzoni e do Alberto Fraga.”

CENÁRIO – Sobre o futuro do país, Jeferson diz que “já conversei com muitas pessoas que se dizem decepcionadas em ter votado no Bolsonaro. Estamos num momento em que existe muito desrespeito às diferenças no Brasil, e torço para que não entremos numa crise aprofundada e que não venhamos a nos dividir ainda mais”, ressaltou o parlamentar, que agradeceu ao povo são-luizense pela expressiva votação nos candidatos do PT: “Agradeço aos são-luizenses por terem confiado no meu trabalho mais uma vez, me permitindo ser o deputado mais votado no município, bem como o próprio PT, que fez uma grandiosa votação em São Luiz Gonzaga”, finalizou.

 

Compartilhe: