Destaques Principais

Executiva do PT destaca o planejamento para o 2º turno das eleições presidenciais

“O primeiro turno foi emoção. Agora, vamos para a razão. Botar a bola no chão e discutir os projetos. O Bolsonaro está há 27 anos no Congresso e tem várias pessoas que não sabem disso. Já tivemos essa aventura com Collor e vimos no que deu", enfatiza Rodrigo Veleda


A Executiva do PT no programa Olho Vivo

Nesta terça-feira, o Olho Vivo recebeu a comitiva do Partido dos Trabalhadores de São Luiz Gonzaga para comentar acerca do pleito realizado no último domingo, 7. Na oportunidade, o presidente do PT Jarcedi Jaques Terra, salientou que “em primeiro lugar, queremos agradecer a grande votação que obtivemos em São Luiz em todos os cargos e demonstrando o tamanho do partido no município”.

Com referência ao pleito, Jarcedi enfatizou: “Esperávamos que o Rossetto estivesse no segundo turno, mas não foi  possível. Assim, estamos com o Haddad na disputa da presidência e recomeçando a campanha. Hoje teremos reunião para reorganizar a articulação política com outros partidos aliados”. Sobre o resultado das urnas, o presidente do partido ressalta que “é evidente que toda essa conjuntura montada contra o PT a nível nacional, e tudo o que aconteceu com o Lula, tendo o Haddad apenas 30 dias de campanha, o resultado foi satisfatório. Agora, acreditamos que nosso candidato vai crescer, pois além do tempo de televisão com a apresentação do projeto do PT para o Brasil, poderão ser confrontados os programas sobre o que é bom e o que não é bom para o país”.

A Executiva do PT no programa Olho Vivo

O advogado Rodrigo Veleda enalteceu os resultados em São Luiz: “o Jeferson Fernandes foi o deputado mais votado, assim como os deputados federais Bohn Gass e Pimenta tiveram expressiva votação, bem como o senador Paim e o candidato à presidência Fernando Haddad. Agora, é o momento das pessoas conhecerem quem é o Haddad, saber que ele é formado em Direito, tem mestrado e doutorado e foi um ótimo prefeito em São Paulo. Ele tem a capacidade teórica e a capacidade política para colocar o Brasil no rumo certo”, enfatizou.

Para Veleda, “o primeiro turno foi emoção. Agora, vamos para a razão. Botar a bola no chão e discutir os projetos. O Bolsonaro está há 27 anos no Congresso e tem várias pessoas que não sabem disso. Já tivemos essa aventura com Collor e vimos no que deu, com aqueles discursos inflamáveis que visam fragilizar a democracia. Veleda também citou Bolsonaro, salientando que muito do apoio que ele recebe tem origem no viés de armar a população; porém, citou o fortalecimento do PT no Estado: Tem policiais que apoiam o Bolsonaro, mas, no Estado, votaram no Miguel Rossetto por conta das políticas de reestruturação do RS que o PT trabalha”.

Sobre o segundo turno das eleições estaduais, Veleda disse que esperam as orientações do Partido para ver como será a participação. No entanto, acredita que não haverá possibilidade de realizar apoio a algum candidato: “Embora sem apoiar Leite ou Sartori, não se deve pensar em voto branco ou nulo. Agora, é hora de analisar os candidatos e esperar um comprometimento do novo Governador em manter o patrimônio público do RS e pagar em dia o funcionalismo”, salientou.

Sobre os movimentos contra Bolsonaro, como o #EleNão, Veleda ressaltou que os mesmos foram suprapartidários, embora o PT tenha apoiado: “Esses atos ganharam repercussão internacional, tendo em vista que existem, hoje, um projeto democrático e outro autoritário. Sei que muitos eleitores do Bolsonaro não concordam e não pensam da mesma forma que ele. Assim, acreditamos que passada essa fase da emoção, é chegado o momento da razão. A política é construída no diálogo. Acredito que tivemos algumas falhas no discurso e coisas que não foram enfrentadas, mas não podemos entrar numa aventura irresponsável. O confronto direto nos debates poderá beneficiar o Haddad contra o Bolsonaro por conta das propostas concretas e responsáveis para o país”, finalizou.

Compartilhe: