Presente em São Luiz Gonzaga, presidente do CPERS indaga: “Estamos presenciando o processo de privatização de nossas escolas?”

4ea5e4e6-0fe8-4440-859b-ec2b498ec14d
Compartilhe essa notícia...
Share on Facebook
Facebook
Email this to someone
email
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin

Na manhã desta quarta-feira, São Luiz Gonzaga sediou, no Espaço Messa de Eventos, o 2º Encontro de Funcionários Regionais da Educação envolvendo os Núcleos do CPERS de São Luiz Gonzaga, São Borja e Cerro Largo.

Na oportunidade, esteve presente a presidente do CPERS/Sindicato, Helenir Aguiar Schürer que, em entrevista à nossa emissora, falou sobre os temas abordados no encontro.

Conforme Helenir, “discutimos os pontos da Reforma da Previdência e, também, sobre a nossa negociação com o Governo do Estado, da qual posso afirmar que estou indignada! O governo manda para a Assembleia Legislativa a Lei de Diretrizes Orçamentárias apontando um reajuste de 0% para os professores no ano que vem e, ao mesmo tempo, concede um aumento de mais de 16% para aquelas categorias que já quase batem no teto salarial, sendo que esses recebem baseados no reajuste dado ao STF e que se usa como efeito cascata. Daí, quando o governo disse que vai pagar esse reajuste por conta de decisão judicial, nós questionamos: decisão judicial não faz aparecer dinheiro. Estamos negociando desde o início do ano e eles não podem nos dar 28% de reajuste para uma categoria que tem salário médio de R$ 2mil, mas rapidamente conseguiu alcançar 16% para quem ganha mais de 30 mil. Essa balança que sempre pende para o lado mais forte é o que nos indigna”, lamentou a presidente do CPERS.

PRIVATIZAÇÃO DAS ESCOLAS? – Outro ponto citado por Helenir foi quanto à morosidade na escolha dos novos coordenadores regionais de Educação, que, segundo ela, poderá ter um fator extra nessa decisão: “a empresa que está coordenando o processo seletivo para a escolha dos coordenadores é braço de uma empresa interessada na privatização do ensino. E, quando vemos uma LDO com 0% de reajuste aos professores, a não nomeação de novos professores e o governador indo aos Estados Unidos oferecer parcerias para a gestão das escolas, questionamos: Estamos começando a presenciar o processo de privatização de nossas escolas?”, indagou Helenir.

Segundo a presidente do CPERS, uma nova negociação com o governo estadual deverá ocorrer na próxima segunda-feira, quando o sindicato irá tentar mobilizar um grande número de professores e servidores públicos para acompanhar o desenrolar das tratativas.

Fonte: Emerson Scheis/Rádio São Luiz

Fotos: Alcides Figueiredo/Rádio São Luiz

 

Compartilhe essa notícia...
Share on Facebook
Facebook
Email this to someone
email
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin