Sindicato irá buscar informações sobre motivos das férias coletivas no frigorífico

7b33d688-a69f-4050-8e17-030d22c38da9

Em Assembleia realizada com seus associados na tarde desta quinta-feira, 11, no Departamento Nativista Carlos Bastos do Prado, o Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias da Alimentação – Sintriasa abordou a questão do dissídio salarial de 2019, mas, da mesma forma, o fato que teve repercussão nesta semana em São Luiz Gonzaga, com o anúncio de férias coletivas aos funcionários e colaboradores do Frigorífico Estrela.

Em entrevista à Rádio São Luiz, o presidente da Federação dos Trabalhadores nas Indústrias da Alimentação do RS, Paulo Madeira, salientou que “foi uma grande assembleia, com o jurídico do Sindicato trazendo informações quanto aos processos de funcionários da Cotrijuí e discussão do dissídio de 2019. Estamos vendo que, mesmo com muita retirada de direitos, o trabalhador segue junto com o sindicato”. Sobre a questão das férias coletivas concedidas aos funcionários do frigorífico, Paulo disse que “no momento, temos apenas a correspondência. Estamos contatando a empresa para saber o motivo para levar a informação ao trabalhador, e estamos tentando agendar uma reunião com a empresa para que a gente leve a segurança ao trabalhador de que ele tenha a certeza de retornar para a linha de produção do frigorífico e para a sua rotina”, destacou.

O assessor jurídico do Sintriasa de Santo Ângelo, Paulo Leal, informou aos trabalhadores presentes na Assembleia de que o sindicato irá buscar as informações acerca da decisão da empresa: “Ainda não sabemos as razões, mas a gente sabe que o Brasil vem enfrentando problemas no mercado internacional, como na relação com a China e com o mercado árabe, mas esperamos que não seja essa a causa. Vamos buscar agendar uma reunião com a empresa para averiguar a situação e transmitir as informações aos trabalhadores da Unidade”, salientou.

POSIÇÃO DA EMPRESA – A Rádio São Luiz conversou com representante do Frigorífico Estrela na última terça-feira, 9, ocasião em que foi informado à nossa reportagem de que a concessão das férias coletivas decorre do cenário econômico que o país vivencia atualmente, que afeta não somente o frigorífico, mas o mercado nacional de suínos, bovinos e aves. Segundo a empresa, “o mercado hoje não consegue absorver toda a produção nossa, e, da mesma forma, vive-se a expectativa de normalização das exportações. E, quando fala-se em exportação, fala-se em China”. Desta forma, a informação é de que a Unidade de São Luiz Gonzaga aguardará o início das produções da China, que provavelmente ocorrerão em 20 ou 30 dias, para verificar a possibilidade de uma melhora econômica a nível de país e retornar à normalidade nos serviços de produção do frigorífico.

Fonte: Rádio São Luiz

Fotos: Alcides Figueiredo/Rádio São Luiz