Caibaté celebra 58 anos de emancipação nesta quarta-feira

História do município possui forte ligação com as Missões – Foto: Divulgação/Prefeitura de Caibaté

Nesta quarta-feira, 15 de maio, o município de Caibaté completa 58 anos de emancipação político administrativa. A cidade possui uma área de aproximadamente 258 km² e 4.823 habitantes, segundo da dados do último censo do IBGE. Caibaté também é popularmente conhecida como “Coração das Missões” e tem no Santuário do Caaró o seu principal ponto turístico.

Receba nossas notícias pelo WhatsApp

Caibaté tem seu nome de origem Tupi, que significa “mato alto com muitas frutas”, o local era ocupado por indígenas até o início da primeira fase das missões jesuíticas no Brasil (1609-1706), quando o padre Roque González fundou a redução de Todos os Santos, em 1628 no local conhecido como Caaró. Após 15 dias da fundação, nesse mesmo local o padre Roque e o também jesuíta Afonso Rodrigues foram martirizados e a redução destruída.

Durante muitos anos, o território permanece abandonado e, a partir de 1919 as terras que formam o município começaram a ser repovoadas e dívidas. É então que surge a Colônia Rondinha, em uma referência aos tropeiros que passavam conduzindo o gado pela região. Em 1933, iniciam as romarias no Santuário do Caaró em referências aos três mártires jesuítas: Roque Gonzales, Afonso Rodrigues e João de Castilhos (morto em Assunção do Ijuí).

Em 1926, o local é elevado à categoria de distrito e passa a ser chamado de Santa Lúcia, em virtude da santa padroeira católica Santa Luzia. A última mudança ocorre em 1944, quando é adotado o nome de Caibaté. A emancipação vem por meio da Lei Estadual nº 5.025/1965, com a formação da sede em maio de 1966.

A economia local é voltada para a agricultura e tem no turismo religioso atrelado a história do Caaró um de seus atrativos. A cidade também é sede da Cermissões, cooperativa de distribuição de energia com atuação de destaque na região e do Seminário Internacional de História, Educação e Turismo das Missões.

Cancelamento da 11°Facic e solidariedade

Em entrevista à Rádio São Luiz FM 100.9, o prefeito de Caibaté Amauri Pires da Silva (PP) destacou o protagonismo da população local para as conquistas do município ao longo dos seus 58 anos. O gestor agradeceu aos ex-prefeitos e todas as pessoas que colaboraram para a emancipação de Caibaté. Amauri também comentou sobre a solidariedade às pessoas afetadas pelas enchentes no Rio Grande do Sul, o que motivou o cancelamento da 11° Facic (Feira Comercial, Industrial e Agropecuária de Caibaté).

Atualmente a frente do Departamento de Turismo da Associação dos Municípios das Missões (AMM), o gestor comentou sobre o trabalho para desenvolver o setor, principalmente através do turismo religioso associado ao Santuário do Caaró.

Fonte: Rádio São Luiz/Prefeitura Municipal