“A aprovação do Projeto de Lei consolida uma prática que já existia em São Luiz, mas que fica regulamentada a partir de agora”, salienta o presidente da Câmara

Em entrevista ao programa Olho Vivo desta terça-feira, 14, o presidente da Câmara de Vereadores, Piti Werle (MDB), falou sobre a Sessão Ordinária de ontem na qual resultou aprovado o projeto de lei que flexibiliza o horário de funcionamento do comércio.

Conforme o presidente, “acho que esse projeto era de grande interesse, tendo em vista que a lei era de 20 anos atrás, e já vinha sendo pautada há algum tempo. Temos de ressaltar a ampla discussão que ele teve na Comissão Especial entre todos os partidos, onde foi discutido democraticamente, dando espaço para todas as deliberações possíveis, e o parecer refletiu tudo aquilo que foi discutido na comissão”.

Na votação do projeto, foram nove votos a favor do projeto, dois contrários e um que se absteve. “Acho que concluímos de forma democrática esse processo e espero que uma nova construção a partir disso ocorra. Lógico que não irá resolver todos os problemas, mas consolida uma prática que já existia em São Luiz, com muitos comércios abrindo aos sábados à tarde e em horários alternativos. E sabemos que o que é bom pra um talvez não seja bom para outro, mas cada um poderá montar seu horário de acordo com sua demanda”.

Sobre o debate ocorrido e o clima construído em cima dessa votação, Piti ressalta: “Me preocupa muito a questão da presunção. Não podemos presumir que tal categoria é isso ou aquilo. O nosso papel era legislar sobre aquela matéria, e claro que tem outras coisas embutidas dentro dessas relações, mas que não são de cunho da Câmara, e infelizmente não vamos poder resolver algumas coisas. Mas acho que o resultado da votação reflete o que boa parte da população entende por horário do comércio”.

Sobre a repercussão da votação, Piti destaca que temas polêmicos sempre envolvem lados, mas que o vereador, com um agente político, não pode ficar em cima do muro: “Desde o início já tinha minha posição favorável à flexibilização do horário. E em sessões de casa cheia, de ânimos exacerbados, a Mesa precisa tomar medidas para garantir a integridade dos presentes. Recebemos algumas críticas sobre as medidas adotadas ontem, mas existe um laudo dos bombeiros que delimita o número de público no plenário, e também visamos garantir o espaço na Câmara de forma equilibrada para os dois lados, mas, infelizmente, existem pessoas que criticam essas atitudes”, finalizou o presidente.

Fonte: Emerson Scheis/Rádio São Luiz

Compartilhe essa notícia...
Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
Email this to someone
email