Saúde

Secretaria de Saúde e ESF Mário estão entre os afetados pela microexplosão atmosférica

Foto: Luiz Oneide/Rádio São Luiz

A Secretária de Saúde de São Luiz Gonzaga, Clari Ramborger, informou que tanto o primeiro como o segundo piso da Secretaria de Saúde, localizada no Materno Infantil, sofreram com as ações do temporal de sábado, 15. A cobertura do prédio foi afetada, provocando entrada de água da chuva em grande área do pavilhão.

Receba nossas notícias pelo WhatsApp

Há preocupação com os medicamentos armazenados. O gerador de energia, no entanto, não foi afetado, permitindo que aqueles fármacos que precisam de refrigeração possam ser conservados.

Clari também falou sobre a parcial destruição do ESF da Mário, que tinha passado por reformas e seria reinaugurado no próximo dia 4. O telhado foi arrancado, portas foram danificadas e a área externa também sofreu com a ação do clima.

Na Secretaria de Saúde, o atendimento nesta segunda-feira, 17, foi suspenso.

Fonte: Rádio São Luiz

Cois avalia apoio financeiro a obras no Hospital São Luiz Gonzaga

Foto: Divulgação/Assessoria de Imprensa

Os prefeitos dos municípios que integram o Consórcio Intermunicipal de Saúde (Cois) estiveram reunidos nesta quinta-feira, 13, discutindo a possibilidade de auxiliar financeiramente as obras do Hospital São Luiz Gonzaga (HSLG). O prefeito de São Luiz Gonzaga, Sidney Brondani, apresentou a proposta.

Receba nossas notícias pelo WhatsApp

O pedido de apoio visa completar os recursos necessários para as obras. O orçamento inicial da UTI e de outras intervenções necessárias na parte física da casa de saúde era de R$ 2,5 milhões, mas com o reajuste de preços, por causa de problemas com a primeira empresa contratada, o valor passou para R$ 3,2 milhões.

Brondani disse que São Luiz Gonzaga poderia pagar R$ 720 mil da diferença, enquanto os municípios do Cois dividiriam os outros R$ 580 mil, tendo em vista que o Hospital ainda tem em caixa R$ 1,9 milhão. Os prefeitos vão analisar a possibilidade, mas primeiro devem consultar os seus departamentos jurídicos.

Fonte: Rádio São Luiz com informações da Assessoria de Imprensa da Prefeitura

Coordenador está preocupado com a baixa cobertura vacinal na região

Foto: Canva

O coordenador regional de Saúde, Rodrigo Reis, falou nesta quinta-feira, 13, sobre a baixa cobertura vacinal contra influenza nos grupos prioritários. Em grande parte dos municípios da região o indicador está na faixa de apenas 51%.

Receba nossas notícias pelo WhatsApp

Alguns municípios como Pirapó, no entanto, apresentam melhor cobertura, com alcance de 77%. Lá está sendo feita uma busca ativa e essa é uma estratégia que poderá ser seguida em outras localidades. Além disso, estão sendo pensadas estratégias individuais, adaptadas ao cenário local, para aumentar a cobertura.

Uma das preocupações de Rodrigo é com a desinformação, pois a propagação das notícias falsas está afetando até mesmo a imunização das crianças. Há uma campanha antivacina que tem refletido em vacinas consolidadas como é o caso da tríplice viral, que protege contra sarampo, rubéola e caxumba.

“A baixa cobertura vacinal coloca em risco a população, pois além do perigo de desenvolver um quadro grave, com muitas pessoas se contaminando não há estrutura de UTI e leitos de hospital para atender a todos”, explica o coordenador.

Fonte: Rádio São Luiz

Obras do Pronto Atendimento do HSLG devem reiniciar em breve, afirma Valmir Silveira

Foto: Emerson Scheis/Câmara Municipal de São Luiz Gonzaga

O vereador são-luizense Valmir Silveira (MDB) concedeu entrevista à Rádio São Luiz FM 100.9 para sobre o avanço das obras de melhoria no Hospital de São Luiz Gonzaga (HSLG). Na oportunidade, Valmir também abordou a busca por emendas e recursos para a saúde.

Receba nossas notícias pelo WhatsApp

De acordo com Valmir, a expectativa é de que nos próximos dias sejam retomadas as obras no Pronto Atendimento do HSLG. “O recurso está garantido para reiniciar e temos a expectativa de que inicie logo, estamos aguardando somente um posicionamento do Ministério da Saúde”, disse o vereador. Ele comentou sobre o trabalho em conjunto com a vereadora Nara Mendes (MDB) e o deputado federal Osmar Terra (MDB) para trazer recursos para o hospital e a área da saúde.

Outro tema da conversa foi a criação de um projeto para possibilitar o empréstimo de equipamentos hospitalares para utilização em casa pelos pacientes. Segundo Valmir, essa iniciativa busca facilitar o atendimento e os cuidados das pessoas, principalmente, considerando aquelas que podem ficar em casa.

“São oito concentradores de oxigênio e 20 camas completas com colchão piramidal, que estão sendo emprestados para a comunidade, para aqueles pacientes que são acamados em casa. É um projeto muito significativo”, destacou o vereador, que acrescentou falando sobre o esforço para agendar consulta de ressonância magnética para a população local.

Fonte: Rádio São Luiz

São Luiz Gonzaga registra cinco mortes relacionadas com a dengue

Foto: Freepik

A 12ª Coordenadoria Regional de Saúde divulgou na sexta-feira, 7, o boletim semanal com os casos de dengue na sua área de abrangência. O relatório aponta uma nova morte pela doença em São Luiz Gonzaga em relação ao boletim da semana passada. Agora são cinco mortes confirmadas no município.

Receba nossas notícias pelo WhatsApp

O município são-luizense é o que mais registrou mortes dentro da 12ª CRS, seguido por São Borja com três, Santo Ângelo com duas, e Cerro Largo e Eugênio de Castro com uma.

Entre os municípios com mais casos de dengue confirmados estão Santo Ângelo com 2.644 casos e Cerro Largo com 2.561 casos. São Luiz Gonzaga contabiliza 858 casos. Os números são do Sistema de Informações de Agravos de Notificação (Sinan) e foram contabilizados do início do ano até o dia 7 de junho.

Fonte: Rádio São Luiz com informações da 12º CRS

Cirurgia robótica será realizada em Santo Ângelo pela primeira vez na história

Foto: Comunicação e Marketing Unimed Missões/RS

A Região das Missões viverá neste domingo, 9, um momento de avanço significativo na medicina com a introdução da cirurgia robótica. Duas intervenções estão programadas para acontecer no recém-inaugurado Centro Cirúrgico na torre Leste do Hospital Regional Unimed Missões, em Santo Ângelo, marcando um momento histórico.

Receba nossas notícias pelo WhatsApp

O destaque do novo Centro Cirúrgico é a utilização do Sistema Da Vinci X, um equipamento de ponta que permitirá a realização de cirurgias minimamente invasivas e com muita precisão. Controlado por um cirurgião através de um console, o sistema oferece uma plataforma com imagem em 3D de alta definição, possibilitando movimentos mais precisos e incisões menores. Isso promete reduzir o tempo de internação, acelerar a recuperação e diminuir a dor para os pacientes.

Para operar a plataforma robótica, os especialistas passaram por uma formação rigorosa, incluindo simulações em ambientes virtuais e prática supervisionada. Essa preparação garante que os cirurgiões estejam altamente capacitados para utilizar a tecnologia de maneira eficaz e segura.

A tecnologia Da Vinci X oferece inúmeras vantagens, como mínima invasão, maior precisão e segurança, recuperação mais rápida e a capacidade de realizar procedimentos em diversas especialidades, incluindo ginecologia, urologia, cardiologia e cirurgia torácica.

Foto: Rádio São Luiz com informações da Unimed Missões

Hospital Regional das Missões assina convênio para compra de equipamento de ressonância magnética

Reunião de assinatura foi realizada nesta quinta – Foto: Guga Stefanello/Ascom SES

O Hospital Regional das Missões de Santo Ângelo e a Secretaria da Saúde (SES), do governo do Rio Grande do Sul, assinaram nesta quinta-feira, 6 de junho, acordo de convênio para compra de um equipamento de ressonância magnética. O objetivo é melhorar o atendimento para os municípios atendidos pela instituição, incluindo São Luiz Gonzaga e demais cidades missioneiras.

Receba nossas notícias pelo WhatsApp

O investimento previsto para a aquisição e instalação do aparelho é de R$ 5 milhões. O equipamento de ressonância magnética colabora na assistência de diagnóstico por imagem com tecnologia de ponta. O Hospital Regional das Missões conta atualmente com 182 leitos, dos quais 146 são destinados ao Sistema Único de Saúde (SUS). A instituição atende 24 municípios da região das Missões e da Fronteira Oeste.

Conforme previsto no plano de trabalho, o dispositivo vai possibilitar a melhoria no atendimento para cerca de 300 mil pessoas. Entre os municípios missioneiros beneficiados estão: Bossoroca, Caibaté, Cerro Largo, Dezesseis de Novembro. Entre-Ijuís, Eugênio de Castro, Garruchos, Guarani das Missões, Mato Queimado, Pirapó, Porto Xavier, Rolador, Roque Gonzáles, Salvador das Missões, Santo Ângelo, Santo Antônio das Missões, São Luiz Gonzaga, São Miguel das Missões, São Nicolau, São Pedro do Butiá e Vitória das Missões.

O convênio com o governo do estado faz parte do programa Avançar Mais na Saúde. A assinatura foi realizada em cerimônia com a participação da secretária estadual da Saúde, Arita Bergmann, que destacou a importância do aparelho para atender a demanda da comunidade regional. “Sabemos que esse equipamento é muito importante para diagnósticos e reconhecemos o empenho da equipe do hospital em fazer a diferença na vida das pessoas”, disse.

Prefeito de Santo Ângelo, Jacques Barbosa (PDT) agradeceu o trabalho da equipe e o empenho do hospital. “É um momento difícil para o Rio Grande do Sul, mas também de esperança, pois poderemos atender melhor a comunidade missioneira”, ressaltou. A provedora da Associação de Caridade de Santo Ângelo, Isabel Cristina Santos Câmera, compartilhou o sentimento de gratidão pela conquista do equipamento. “É muito especial proporcionar a realização de exames de imagem no hospital regional, algo que já era muito esperado por aqui”, ressaltou.

Fonte: Rádio São Luiz com informações da Ascom SES – Governo do RS

Hospitais das Missões receberão R$ 1,25 milhão em investimentos

Recursos serão usadas para reformas e aquisição de equipamentos – Foto: Canva/Ilustrativa

Três hospitais da região vão receber para R$ 1,25 milhão para qualificar o atendimento nas Missões. O investimento foi anunciado nesta quarta-feira, 5 de junho, pela Secretaria de Saúde (SES) do Rio Grande do Sul. Os hospitais de São Miguel das Missões, Caibaté e Porto Lucena serão contemplados nesta etapa.

Receba nossas notícias pelo WhatsApp

O Hospital São Miguel, de São Miguel das Missões, vai receber R$ 750 mil para a aquisição de equipamentos. Outros R$ 338,3 mil serão investidos na reforma do Hospital Roque Gonzales, em Caibaté. Os outros R$ 162,5 mil serão destinados para a Associação Hospital São José, em Porto Lucena, para reformar e ampliar o espaço que vai receber a central de material esterilizado.

Os recursos fazem parte do programa Avançar Mais, voltado para a ampliação e qualificação da rede de saúde no Estado e somam R$ 5,7 milhões. No total, serão 15 hospitais com até 50 leitos e que atendem pelo Sistema Único de Saúde que receberam recursos do governo gaúcho.

De acordo com a secretária de Saúde do RS, Arita Bergmann destacou a busca por auxiliar o estado a superar os impactos do desastre de maio. A gestora também ressaltou a importância das instituições de pequeno porte para o SUS. “Os hospitais de pequeno porte têm a missão de ser a porta de entrada do cidadão em seu município e em sua região para resolver problemas. E muitos problemas têm solução local, não havendo necessidade de transferência para um serviço de maior complexidade”, explicou.

Fonte: Rádio São Luiz com informações do Governo do Estado do RS

Mobilização em prol do Hospital de Caibaté resulta na arrecadação de R$ 224.687,10

Foto: Cermissões

O somatório das ações beneficentes idealizadas pela Cermissões resultaram na arrecadação de R$ 224.687,10 para o Hospital Roque Gonzales de Caibaté. A mais recente mobilização foi o evento “Ovelhaço”, realizado na última sexta-feira, 31, na AFUCER, que contou com um jantar beneficente utilizando as ovelhas doadas para a festa dos 63 anos da Cermissões em fevereiro.

Receba nossas notícias pelo WhatsApp

No “Ovelhaço,” foram vendidos 238 cartões adultos e 20 infantis, e a venda de bebidas contribuiu para um lucro de R$ 6.957,00. Entre os compradores de cartões, Rogério Ely foi sorteado com uma ovelha, que ele doou ao CTG Sentinélas do Caaró.

O presidente da Cermissões, Diamantino Marques dos Santos, comemorou o sucesso da arrecadação, destacando a importância da colaboração entre a cooperativa, a direção do hospital, as administrações de Caibaté e Mato Queimado, e a comunidade. A mobilização foi essencial para aliviar as finanças do hospital, que enfrenta dificuldades financeiras.

Além do “Ovelhaço,” outras ações contribuíram para a arrecadação total, incluindo o almoço beneficente realizado em fevereiro, que arrecadou R$ 205.730,10, e uma rifa organizada com prêmios doados, que gerou R$ 12.000,00.

O presidente do Hospital, Orcelei Dalla Barba, agradeceu à Cermissões, à equipe da cooperativa e a todos os envolvidos pelas ações beneficentes. Ele ressaltou a credibilidade da cooperativa que mobilizou a região para essa causa nobre. A tesoureira do “Ovelhaço”, Maristela Gruhn de Oliveira, informou que o valor arrecadado já está depositado na conta do hospital.

A direção do hospital está trabalhando para disponibilizar à comunidade, por meio de um site, informações sobre a aplicação dos recursos arrecadados.

Fonte: Rádio São Luiz com informações da Cermissões

Chega a 13 o número de mortes por dengue em municípios da região; São Luiz Gonzaga lidera

Foto: Freepik

A Secretaria Estadual de Saúde, por meio do Painel que monitora a situação epidemiológica da dengue no Rio Grande do Sul, mostra que o acumulado de casos na região chegou a 10.216 confirmações. As mortes também aumentaram, totalizando agora 13 casos.

Receba nossas notícias pelo WhatsApp

Os municípios com os maiores números de confirmações são Santo Ângelo, com 2.386, Cerro Largo, com 2.300, Giruá, com 971, e São Luiz Gonzaga, com 822. No lado inverso, Itacurubi é o município com o menor número de registros, contabilizando apenas quatro casos.

As mortes ocorreram em Cerro Largo (um caso), Eugênio de Castro (um caso), Santo Ângelo (dois casos), São Borja (dois casos), Giruá (três casos) e São Luiz Gonzaga (quatro casos). A maioria das vítimas está na faixa etária de 50 a 59 anos de idade, sendo que 55,88% delas é do sexo feminino.

Fonte: Rádio São Luiz com informações da Secretaria Estadual de Saúde

Hospital de Clínicas Ijuí busca voluntários para estudo sobre dor após retirada do siso

Hospital de Clínicas de Ijuí será um dos afetados – Foto: Assessoria de Imprensa – HCI

O Hospital de Clínicas Ijuí (HCI) está buscando pacientes que fizeram a retirada do siso, do terceiro dente molar inferior, para participarem de uma pesquisa da área odontologia. A pesquisa busca analisar o uso de medicamentos para a dor por pacientes que fizeram a cirurgia de retirada do siso.

Receba nossas notícias pelo WhatsApp

A investigação é conduzida pelo Núcleo de Ensino e Pesquisa (NEP) do hospital, referência em estudos clínicos, em conjunto com uma empresa brasileira e outros dois centros de pesquisa. A pesquisa ocorrerá ao longo de 2024. A expectativa do HCI é incluir, mensalmente, cerca de 20 voluntários no levantamento.

A retirada do siso segue um período de acompanhamento de sete dias aos voluntários. Todo esse processo é gratuito, inclusive o transporte. Podem participar pacientes de Ijuí e de toda a macrorregião. Mais informações podem ser obtidas pelo telefone (55) 99925-0123.

Fonte: Rádio São Luiz com informações do HCI

Ambulância do SAMU de São Luiz Gonzaga retoma atividades após 24 dias

Divulgação/Samu

Após 24 dias fora de operação, o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) de São Luiz Gonzaga voltou a atender a população. A ambulância do SAMU estava inoperante desde 30 de abril devido a problemas mecânicos, mas agora, após a devida manutenção, está novamente disponível para emergências.

Receba nossas notícias pelo WhatsApp

Esta não é a primeira vez que a ambulância enfrenta problemas. Em fevereiro deste ano, ela também ficou fora de operação por seis dias devido a falhas mecânicas. A recorrência de problemas mecânicos levanta preocupações.

O SAMU é um serviço que presta atendimento pré-hospitalar de urgência e emergência. O financiamento do SAMU é tripartite, ou seja, é sustentado por recursos dos governos federal, estadual e municipal.

Fonte: Rádio São Luiz

Evento em prol do Hospital de Caibaté será realizado no dia 31 de maio

Arquivo/Divulgação

No próximo dia 31 de maio, na Afucer, será realizado um jantar beneficente em prol do Hospital Roque Gonzales de Caibaté. O “Ovelhaço” tem cartões limitados ao valor de R$ 35,00 para adultos e R$ 20,00 para as crianças, e a aquisição pode ser feita no próprio hospital, na sede da Cermissões ou nas prefeituras de Mato Queimado e Caibaté.

Receba nossas notícias pelo WhatsApp

As recentes ações, como a festa dos 63 anos da Cermissões em 18 de fevereiro e a rifa com donativos angariados para a festa, contribuíram para a manutenção do hospital, arrecadando mais de R$ 217 mil. Com 12 ovelhas ainda disponíveis, que haviam sido doadas para a festa de fevereiro, as direções da Cermissões e do hospital, com o apoio das administrações de Caibaté e Mato Queimado, decidiram organizar o “Ovelhaço”.

O jantar será servido às 20h30min, e além da carne de ovelha, haverá carne de gado e saladas diversas. Visando uma melhor organização, serão disponibilizados 250 cartões para adultos e 50 para crianças, sem venda de cartões na hora. Os organizadores solicitam que todos levem pratos e talheres.

Fonte: Rádio São Luiz com informações da Cermissões

Obras de recuperação do esgotamento sanitário em São Luiz Gonzaga estão 95% concluídas

Obras devem ser finalizadas até agosto – foto: Divulgação/Corsan

As obras de esgotamento sanitário realizadas pela Corsan em São Luiz Gonzaga atingiram 95% dos trechos previstos. Além disso, a companhia divulgou que já foram recuperados 3,5 mil metros quadrados de pavimento na cidade. Por conta das fortes chuvas das últimas semanas e meses, alguns trechos tiveram que ser refeitos e a previsão é de que as obras sejam finalizadas até agosto.

Receba nossas notícias pelo WhatsApp

Entre os trechos com revestimento já concluído estão as ruas: Edemar Fabrício, Treze de Maio, Leovegildo Paiva, Rui Ramos, General Neto, Davi Canabarro, General Osório, Silva Jardim e Senador Pinheiro Machado. Nas próximas semanas, as equipes da companhia irão trabalhar na Rua General Câmara, na Travessa Deóclides Gomes e em um trecho da Silva Jardim e Davi Canabarro.

De acordo com a Corsan, as redes coletoras de esgoto a serem instaladas em São Luiz Gonzaga devem percorrer 25 km, com 1680 ligações no centro da cidades e nos bairros Raimundo Gomes Neto e Vila Marcos. Deste total, cerca de 21 km já estão instalados em um investimento avaliado em R$ 17,2 milhões.

O projeto prevê também uma Estação de Bombeamento de Esgoto (EBE), que também está em fase de conclusão, que ficará nas ruas Hipólito Ribeiro e Tiradentes. A estação terá capacidade de vazão de 44 litros de esgoto por segundo. As obras buscam atender ao Marco Legal do Saneamento Básico, estabelecido por lei federal e que estipula o prazo de até 2023 para que 99% da população tenha acesso à água potável e 90% à coleta e ao tratamento de esgoto. A previsão é de que sejam necessários investimentos de R$ 1,5 bilhão por ano para atingir a meta.

Fonte: Rádio São Luiz com informações da Corsan

Cirurgias eletivas voltam à normalidade no Hospital São Luiz Gonzaga

Divulgação

As cirurgias eletivas, que haviam sido suspensas no dia 7 de maio no Hospital São Luiz Gonzaga, retornaram à normalidade na última semana. A casa de saúde havia optado por suspender, de forma temporária, por causa das questões logísticas, afetadas pelas enchentes, que dificultavam o recebimento de insumos e medicamentos.

Receba nossas notícias pelo WhatsApp

Agora, passado o período de maior gravidade da tragédia, foi possível retomar a agenda dos pacientes. Lembrando que o contato para mais informações mudou, pois o telefone do Hospital São Luiz Gonzaga passou a ser o (55) 2107-1900.

Os procedimentos eletivos são aqueles mais simples, que podem ser remarcados para um período posterior, sem que o paciente corra riscos.

Fonte: Rádio São Luiz

Abrigos necessitam de intérpretes; secretaria de saúde abre cadastro para voluntários

Foto: Itamar Aguiar/Ascom SES

Profissionais que desejam ser intérpretes voluntários nos abrigos que acolhem pessoas atingidas pelo desastre climático no Rio Grande do Sul podem fazer cadastro on-line. A opção foi acrescentada pela Secretaria da Saúde (SES) do RS como um chamado de emergência para auxiliar a comunicação entre equipes de saúde e pessoas que não tem o português como primeiro idioma.

Receba nossas notícias pelo WhatsApp

O cadastro dos voluntários pode ser feito através do site da Secretaria de Saúde (neste link). Além de brasileiros e gaúchos, os abrigos organizados no Estado acolhem haitianos, venezuelanos, senegaleses, argentinos, entre outros estrangeiros. Segundo dados do Sistema de Registro Nacional Migratório (Sismigra), serviço vinculado ao Ministério da Justiça e Segurança Pública, 127.301 migrantes, refugiados e apátridas residem atualmente no Rio Grande do Sul.

Através do censo dos abrigos temporários realizado pela Secretaria de Desenvolvimento Social (Sedes), já foram mapeados 200 abrigos com pessoas que migraram para o RS vindas de outros países. Uma das principais barreiras de acesso à saúde para essas populações é o idioma. Por isso, a qualificação da comunicação entre equipes de saúde e migrantes, refugiados e apátridas significa oferecer melhor atendimento dos serviços de saúde.

Cadastro de voluntários

O cadastro disponibilizado pela SES é destinado àqueles profissionais com disponibilidade de carga horária e interesse em atuar no auxílio aos municípios do Estado. Ao preencher o formulário, o profissional da saúde autoriza que seus dados sejam disponibilizados para a gestão dos municípios e instituições de saúde caso haja necessidade de substituição ou ampliação da força de trabalho. Até este momento, cerca de 38 mil profissionais de diversas áreas fizeram seu cadastro na plataforma Cadastro de Voluntários.

Fonte: Rádio São Luiz com informações de Ascom SES (GovRS)

Caminhada busca estimular combate ao abuso e exploração sexual de crianças e adolescentes

Caminhada reuniu diversos educadores e membros da comunidade – Foto: Alcides Figueiredo/Rádio São Luiz

Uma caminhada realizada na manhã desta quarta-feira, 15 de maio, em alusão ao Dia Nacional de Enfrentamento ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes, cuja data oficial é 18 de maio. A iniciativa foi organizada pela Rede de Apoio à Escola (RAE) e teve objetivo levar informações sobre o tema para a população de São Luiz Gonzaga. A atividade reuniu diferentes entidades, escolas e a comunidade local.

Receba nossas notícias pelo WhatsApp

Professora da rede municipal de ensino, Cristiane de Oliveira destacou que a conscientização sobre o abuso e exploração de crianças e adolescentes é muito importante, principalmente pelo fato da maioria dos casos ocorrerem no âmbito familiar, o que dificulta as denúncias e as ações de combate.

“Já temos casos de crianças bem pequenas com suspeita de alguma situação”, aponta a educadora. Segundo ela, é necessário prestar atenção em possíveis sinais de abuso como o uso de roupas compridas em dias de muito calor ou a falta de frequência na escola. Cristiane também lembra que é papel de toda a sociedade denunciar casos suspeitos e proteger crianças e adolescentes de abusos.

Presente na caminhada, o prefeito de São Luiz Gonzaga Sidney Brondani (PP) falou sobre a relevância da atividade para chamar a atenção da comunidade para as violências contra menores. “Hoje está mais presente e a sociedade acompanha mais e tem denunciado mais. Mas embora existem casos ainda que ocorrem em que a sociedade e as autoridades não têm conhecimento”, ponderou o gestor.

Em casos de suspeita de abusos e exploração contra crianças e adolescentes, a orientação para a população é de que procure e informe o Conselho Tutelar pelo telefone e Whatsapp: (55) 3352-4141, ou diretamente na sede do conselho na Rua Júlio de Castilhos 2236, centro de São Luiz Gonzaga.

Cartazes foram utilizados para conscientizar a população – Foto: Alcides Figueiredo/Rádio São Luiz

Fonte: Rádio São Luiz

Coordenadora do Centro de Saúde fala sobre situação da Influenza, Covid-19 e Dengue em São Luiz Gonzaga

Foto: Kelvin Morais/Rádio São Luiz

A enfermeira Agueda Balbé, coordenadora do Centro de Saúde de São Luiz Gonzaga, participou do programa Expressão Livre desta terça-feira, 14, para falar sobre a situação de algumas doenças no município.

Receba nossas notícias pelo WhatsApp

Ela iniciou informando que a meta de vacinação da população-alvo contra a gripe ainda não atingiu 50%. São aproximadamente 17.500 pessoas que devem, prioritariamente, se imunizar, sob o risco de enfrentarem complicações sérias decorrentes da doença.

Agueda reiterou que mesmo as pessoas que se sentem bem podem enfrentar momentos de imunidade baixa e contrair o vírus, seja em filas de supermercado, bancos ou outros locais com aglomerações. “Torcemos para que isso não aconteça, mas as pessoas precisam se conscientizar”, alertou.

Atualmente, além do grupo prioritário, a vacinação foi ampliada para toda a população a partir dos seis meses de idade. Basta procurar uma das unidades de saúde do município.

Em relação ao comportamento de outras doenças, a coordenadora informou que há duas semanas não são registrados casos positivos de Covid-19, embora seja possível concluir que muitos estejam assintomáticos, possivelmente devido à vacinação. No entanto, a situação da dengue permanece muito preocupante. Foram confirmados mais de 520 casos neste ano, sendo mais de uma centena apenas neste mês de maio.

Por fim, Agueda informou que as unidades de saúde estão recebendo doações para as vítimas das enchentes e convidou a população que puder colaborar a entregar suas doações nos postos de saúde.

Fonte: Rádio São Luiz

Estado libera recursos extraordinários para investimento na Atenção Primária à Saúde

Recursos podem ser usados para ações de custeio – Foto: Freepik

Os municípios da região das Missões integram a lista para receber recursos destinados à Atenção Primária à Saúde pelo governo estadual. No total, serão destinados R$ 12,7 milhões, pagos de forma extraordinária e em parcela única. O dinheiro deve ser usado para custeio de serviços e ações de enfrentamento às consequências das enchentes no estado.

Receba nossas notícias pelo WhatsApp

O recurso é destinado a todos os 497 municípios gaúchos e deve estar disponível nos fundos municipais de saúde até esta quarta-feira, 15 de maio. A divisão dos valores é feita com base na população de cada cidade. O repasse ocorre em virtude da situação de calamidade pública e do desastre climático que o Rio Grande do Sul enfrenta. Confira abaixo a lista dos valores a serem recebidos pelos municípios da região:

Bossoroca R$ 15.548,00

Caibaté R$ 14.533,00

Campina das Missões R$ 14.956,00

Capão do Cipó R$ 12.378,00

Cerro Largo R$ 20.882,00

Dezesseis de Novembro R$ 12.426,00

Entre-Ijuís R$ 17.600,00

Giruá R$ 22.230,00

Guarani das Missões R$ 16.648,00

Itacurubi R$ 13.280,00

Mato Queimado R$ 11.079,00

Pirapó R$ 12.493,00

Porto Xavier R$ 19.140,00

Rolador R$ 11.463,00

Roque Gonzales R$ 16.340,00

Salvador das Missões R$ 11.615,00

Santo Ângelo R$ 64.671,00

Santo Antônio das Missões R$ 19.161,00

São Luiz Gonzaga R$ 35.292,00

São Miguel das Missões R$ 16.224,00

São Nicolau R$ 15.307,00

São Paulo das Missões R$ 15.122,00

São Pedro do Butiá R$ 12.285,00

Vitória das Missões R$ 12.993,00

Confira a portaria com os valores para todos os municípios.

Fonte: Rádio São Luiz com informações do Governo do Estado do RS

Enchentes podem agravar doenças infecciosas; especialista explica como se proteger

Enchentes levaram várias pessoas a ter contato com água possivelmente contaminada – Foto: Gustavo Mansur/Palácio Piratini

As enchentes que atingem o Rio Grande do Sul deixaram diversas cidades e comunidades inundadas e levaram milhares de pessoas a ter contato com água contaminada. Esse contexto leva a possibilidade de um desastre biológico, caracterizado pelo aumento do caso de diferentes doenças infecciosas. Em entrevista à Rádio São Luiz FM 100.9, a professora da Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre (UFCSPA), Melissa Markoski, explica mais detalhes sobre esses riscos e como se proteger.

Receba nossas notícias pelo WhatsApp

De acordo com a especialista que possui pós-doutorado em Imunologia, o contato das pessoas com a água insalubre aumento o risco de proliferação de doenças associadas a bactérias e vírus, além de facilitar a disseminação por vetores como mosquitos e ratos, entre elas a leptospirose. “Se a pessoa estiver apresentando ferimentos, cortes e se expor a essa água, isso facilita a entrada da bactéria no corpo da pessoa”, explica Melissa, que ministra aulas e trabalha com biossegurança.

Outra preocupação é com relação à ingestão de alimentos contaminados, o que pode levar a quadros de hepatites, além de provocar diarreia e vômitos. “Algumas outras infecções também que podem se propagar com relação a enchentes são: dengue e zika, doenças transmitidas por mosquito, que tem disponibilidade de água parada para colocar os ovos e se proliferar”, descreve a professora da UFCSPA.

Em relação aos cuidados, Melissa aponta a busca por evitar o contato com água e, se for o caso, usar equipamentos de proteção como luvas e botas. No caso da tragédia que o RS atravessa, a especialista lembra que a maioria das pessoas não teve como tomar esses cuidados, sendo assim, é preciso prestar atenção a possíveis sintomas, como cortes na pele e dores no corpo.

Além disso, não consumir água e alimentos com aparência ou odores estranhos é uma forma de se proteger. A higienização de roupas e móveis que tiveram contato com a água é muito importante, no entanto, a especialista alerta que no caso de materiais que tiveram contato, por exemplo, com animais mortos ou água de esgoto, o descarte é o mais recomendado. A pesquisadora ressalta também que a água que vem das torneiras é segura e passa por controle de qualidade.

Prevenção para o futuro

Durante a entrevista, a professora Melissa Markoski comentou sobre as ações que cabem ao poder público diante do desastre. Segundo ela, a primeira necessidade é o investimento em sistemas de drenagem da água e saneamento básico, em especial, nas áreas alagadas. De acordo com a especialista, é essencial elaborar “um planejamento urbano mais adequado para resistir à questão das enchentes. Pensar quando for feito planejamento de reconstrução daquelas áreas que foram perdidas em ter esse apoio à população, principalmente os grupos vulneráveis”.

Melissa destaca ser vital evitar a construção em áreas de risco, uma vez que o Rio Grande do Sul deve enfrentar desastres cada vez mais intensos e frequentes, em virtude das mudanças climáticas. “São pontos bem importantes para a gente considerar e pensar que essa infraestrutura, se for bem planejada, ela também vai auxiliar na prevenção de riscos a doenças infecciosas”, finaliza.

Confira a entrevista na íntegra:

Fonte: Rádio São Luiz