Com pauta ampla, encontro da Associação dos Municípios das Missões ocorre nesta sexta-feira em Ubiretama

74634445_2510317749023566_4413036071521091584_n

(Foto: divulgação)

A reunião mensal da Associação dos Municípios das Missões (AMM) ocorre nesta sexta-feira (25), no município de Ubiretama. O encontro terá início às 9h, com ampla pauta de discussão. Na oportunidade, também haverá encontro da Fundação dos Municípios das Missões (Funmissões).

De acordo com o prefeito de Santo Antônio das Missões e também presidente da associação, Puranci Barcelos (PP), com realização da reunião em outros municípios ocorre uma descentralização, permitindo uma maior troca de experiências e conhecimentos entre os legisladores. Ele ressalta que se houver prefeitos que não possam participar, é de fundamental importância a presença de representantes, para que assim, mesmo com a ausência, tomem conhecimento dos assuntos e direcionamentos dados. Outro chamamento foi aos secretários de educação de toda região, uma vez que durante o encontro, o município de Santo Antônio das Missões apresentará um projeto piloto na área.

Confira a pauta:
1.Abertura das Assembleia Geral da AMM;
2.Apresentação do projeto pedagógico experimental “Vivências e Saberes”
3.Discussão e votação da ata n° 511/2019;
4.Discussão e votação do balancete do mês de setembro de 2019;
5.Espaço para proposições escritas/verbais dos municípios;
6.Assessoria Jurídica – Dr. Gladimir Chiele;
7.Desafios da Nova Gestão – Reitor Marcelo Recktenvald –UFFS;
8.Apresentação projeto cursos gratuitos Sinopse
9.Edna Lautert Jornalista do Jornal “A Tribuna” – anuário 2020;

Já o encontro da fundação tem início às 11h, com a respectiva ordem do dia:

1.Abertura da Assembleia Geral da Funmissões
2.Discussão e votação da Ata n° 183/2019
3.Discussão e votação do balancete do mês de setembro de 2019;
4.Departamento de turismo

Em entrevista no programa Olho Vivo, o prefeito ainda falou a respeito do fechamento do ano e a preocupação com a falta de repasses do governo estadual. De acordo com ele, há atrasos de repasses aos municípios desde 2014, o que faz com que os mesmos necessitem aplicar recursos próprios no desenvolvimento de diversos programas, o que impede o investimento em outras áreas que seriam contempladas com os repasses. O presidente afirma que associação trata diretamente com a Federação das Associações de Municípios do Rio Grande do Sul (Famurs), a respeito do assunto com o objetivo de evitar que os repasses prescrevam.

Por Róbson Gomes/Rádio São Luiz

Compartilhe essa notícia...
Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
Email this to someone
email