Busca por espaço e recursos: Associação de Deficientes de São Luiz Gonzaga realizará encontro regional em novembro

14469543_203319700080564_296128754463281517_n

Luciana Maciel (foto) lembrou que o grupo completa 20 anos em 2019. (Foto: arquivo pessoal/divulgação)

A Associação de Amigos Deficientes de São Luiz Gonzaga realizará no dia 10 de novembro o “Encontro Regional de Pessoas com Deficiência”. O objetivo é promover a confraternização entre integrantes de associações da região, bem como com a comunidade. Busca-se ainda angariar recursos para manutenção das atividades do grupo são-luizense.

De acordo com integrante Luciana Maciel, que é cega, este é um momento para que pessoas com qualquer tipo de deficiência possam se divertir e confraternizar. Além disso, destaca ser um oportunidade para que a comunidade contribua com a associação, uma vez que o lucro do evento é revertido na manutenção das atividades e custeio de despesas com deslocamento dos integrantes para as reuniões do grupo. “Nó não recebemos mais o recurso do Estado para custear nosso transporte. Hoje contamos com um motorista cedido pela Ação Social, mas temos despesas com gasolina e com a Kombi. Então estamos sempre precisando de recursos”, disse.

Luciana estendeu o convite para que toda comunidade participe do encontro. Os cartões antecipados podem ser adquiridos no valor de R$ 25,00, valor que dá direito a um almoço e sobremesa. O evento ocorrerá no Clube União, sendo que a tarde haverá programação dançante. Ela também ressalta que doações de galetos, salsichão e carnes são necessárias. Interessados em adquirir o cartão ou contribuir com doações podem entrar em contato pelo número (55) 9 9988-9016.

Superação e desafios

Luciana conta que a associação completou 20 anos de atuação em 2019. “São anos de luta e coragem. Sempre superamos inúmeras dificuldades”, afirmou. O grupo desenvolve inúmeras atividades, entre elas encontros semanais, onde artesanatos são produzidos.

Ela elenca que percebe-se a desvalorização dos deficientes por parte da sociedade. Luciana reivindica que é preciso haver inclusão. “Por ser cega, muitas vezes deixei de conseguir emprego, mesmo que a vaga fosse para deficientes. Não há coisas que não possamos fazer. Temos nossas limitações, mas também temos muitas habilidades. As oportunidades precisam ser dadas”, declarou.

Atualmente Luciana concluiu um estágio na área de educação, e evidencia a alegria em concluí-lo. “Expliquei para as crianças que eu via o mundo com as mãos. E foi muito natural. Elas tem o sentimento puro de querer ajudar o próximo, então estavam sempre querendo me ajudar. As atividades que realizamos todas transcorreram muito bem. Fiquei muito feliz”, ressaltou. Para ela, os deficientes ainda precisam provar para os outros que são capazes de conseguir aquilo que sonham – motivo pelo qual quer se formar, passar em um concurso e trabalhar como professora.

Por Róbson Gomes/Rádio São Luiz

Compartilhe essa notícia...
Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
Email this to someone
email