Saúde

Secretaria de Saúde registra novo caso de coronavírus em Santo Antônio das Missões e total sobe para 18

(Imagem: Divulgação)

Mais uma pessoa testou positivo para a Covid-19 em Santo Antônio das Missões. O registro foi feito pela Secretaria Municipal de Saúde na manhã desta quinta-feira (16/7), totalizando, até o momento, 18 casos da doença no município.

De acordo com a secretária Arriete Pereira, trata-se de uma pessoa do sexo feminino de 37 anos. A paciente, assintomática, está em isolamento domiciliar e sendo acompanhada pela equipe de profissionais da Saúde.

A Secretaria Municipal da Saúde reforça que o distanciamento social é a melhor forma de prevenção, e orienta que as pessoas só devem sair de casa se necessário, e que ao sair, usem máscaras e lavem as mãos com frequência.

Saiba como prevenir a doença

Segundo o Ministério da Saúde, as recomendações de prevenção à COVID-19 são as seguintes:

– Lave com frequência as mãos até a altura dos punhos, com água e sabão, ou então higienize com álcool em gel 70%.

– Ao tossir ou espirrar, cubra nariz e boca com lenço ou com o braço, e não com as mãos.

– Evite tocar olhos, nariz e boca com as mãos não lavadas.

– Ao tocar, lave sempre as mãos como já indicado.

– Mantenha uma distância mínima de cerca de 2 metros de qualquer pessoa tossindo ou espirrando.

– Evite abraços, beijos e apertos de mãos. Adote um comportamento amigável sem contato físico, mas sempre com um sorriso no rosto.

– Higienize com frequência o celular e os brinquedos das crianças.

– Não compartilhe objetos de uso pessoal, como talheres, toalhas, pratos e copos.

– Mantenha os ambientes limpos e bem ventilados.

Evite circulação desnecessária nas ruas, estádios e igrejas. Se puder, fique em casa.

– Se estiver doente, evite contato físico com outras pessoas, principalmente idosos e doentes crônicos, e fique em casa até melhorar.

– Durma bem e tenha uma alimentação saudável.

– Utilize máscaras caseiras ou artesanais feitas de tecido em situações de saída de sua residência.

Por Tardelli Portela – Assessor de Imprensa da Prefeitura de S.A Missões

Santo Antônio das Missões já soma 17 casos confirmados do novo coronavírus

(Imagem: Divulgação)

A Secretaria Municipal de Saúde recebeu na quarta-feira (15/7), a confirmação do Laboratório Central de Saúde Pública do Rio Grande do Sul (LACEN/RS) de mais um caso de Covid-19 em Santo Antônio das Missões. Com esse, o município totaliza 17 casos positivados da doença.

A secretária de Saúde, Arriete Pereira, afirmou que o paciente é um homem de 60 anos que está internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) em Santo Ângelo. A coleta do PCR foi realizada no dia 12 de julho.

A Secretaria Municipal da Saúde reforça que o distanciamento social é a melhor forma de prevenção, e orienta que as pessoas só devem sair de casa se necessário, e que ao sair, usem máscaras e lavem as mãos com frequência.

Saiba como prevenir a doença

Segundo o Ministério da Saúde, as recomendações de prevenção à COVID-19 são as seguintes:

– Lave com frequência as mãos até a altura dos punhos, com água e sabão, ou então higienize com álcool em gel 70%.

– Ao tossir ou espirrar, cubra nariz e boca com lenço ou com o braço, e não com as mãos.

– Evite tocar olhos, nariz e boca com as mãos não lavadas.

– Ao tocar, lave sempre as mãos como já indicado.

– Mantenha uma distância mínima de cerca de 2 metros de qualquer pessoa tossindo ou espirrando.

– Evite abraços, beijos e apertos de mãos. Adote um comportamento amigável sem contato físico, mas sempre com um sorriso no rosto.

– Higienize com frequência o celular e os brinquedos das crianças.

– Não compartilhe objetos de uso pessoal, como talheres, toalhas, pratos e copos.

– Mantenha os ambientes limpos e bem ventilados.

Evite circulação desnecessária nas ruas, estádios e igrejas. Se puder, fique em casa.

– Se estiver doente, evite contato físico com outras pessoas, principalmente idosos e doentes crônicos, e fique em casa até melhorar.

– Durma bem e tenha uma alimentação saudável.

– Utilize máscaras caseiras ou artesanais feitas de tecido em situações de saída de sua residência.

Por Tardelli Portela – Assessor de Imprensa da Prefeitura de S.A Missões

São Luiz Gonzaga registrou novo caso de COVID-19 na quarta-feira

(Foto: Arquivo / Divulgação)

Município possui 58 casos confirmados, com 36 pacientes recuperados, 18 casos ativos e quatro óbitos

São Luiz Gonzaga registrou na quarta-feira (15) mais um caso de COVID-19. A paciente é uma mulher de 33 anos, a qual não desenvolveu sintomas da doença (assintomática).

A paciente realizou um teste rápido na última segunda-feira (13). Devido a divergência de dados cadastrados no E-SUS, o caso foi registrado somente na quarta-feira. Ela e os contatos diretos estão em isolamento domiciliar, com o acompanhamento da Secretaria de Saúde.

O município também foi informado, no final da tarde de quarta-feira, dos resultados negativos para COVID-19 de quatro amostras – de pacientes do município – enviadas ao Laboratório Central de Saúde Pública do Rio Grande do Sul (Lacen/RS).

De acordo com o último boletim epidemiológico, São Luiz Gonzaga registra 58 casos de COVID-19, com 36 pacientes recuperados, 18 casos ativos e quatro óbitos. A Secretaria de Saúde também realiza o monitoramento de 88 pessoas em isolamento domiciliar.

A secretaria solicita às pessoas que apresentaram sintomas respiratórios que procurem a ESF Centro, a qual realiza o atendimento exclusivo desses casos. A unidade de saúde atende em três turnos, das 7 horas ao meio-dia, das 13 horas até às 16 horas e das 18 horas até às 22 horas, de segunda a sexta-feira.

Fonte: Assessoria de Imprensa da Prefeitura de São Luiz Gonzaga com informações da SEMSA

Covid-19: médicos da UFPel alertam para uso de medicações “milagrosas”

(Imagem: Divulgação)

Desde o início da pandemia causada pelo novo Coronavírus, diversas substâncias ativos já foram apontadas como tratamentos milagrosos contra a doença causada pela sua infecção, a Covid-19. No entanto, médicos ligados à Universidade Federal de Pelotas apontam que ainda não há evidências científicas suficientes para determinar tratamentos ou profilaxias eficazes contra o vírus e a doença que ele desencadeia.

O aumento de casos da doença, em especial aquele visto na Itália, motivou uma corrida dos cientistas para encontrar um tratamento viável para os pacientes, conforme relata o médico de Família e Comunidade e professor da Faculdade de Medicina da UFPel Rogério Linhares. Devido ao estado de exceção e por razões humanitárias, foi permitida a testagem de medicações diretamente em pacientes, sem as etapas anteriores de experimentação. Outras delas somente continham a etapa in vitro, sem aplicação em organismos vivos.

Por isso, nos primeiros meses, diversos estudos foram publicados, inclusive em revistas de excelência, sem critérios comumente usados, como a revisão por pares, em uma ânsia de encontrar um tratamento possível para uma problemática sanitária de escala global.

Linhares explica que são dessa época as publicações sobre substâncias que poderiam ter grande efetividade no tratamento da Covid-19. Mas havia algo em comum entre elas: elas não haviam sido testadas em seres vivos. “No ambiente in vitro muita coisa pode funcionar; mas e em um organismo?”, questiona o docente.

É justamente desse período que se reportam pesquisas de alguns dos princípios ativos apontados como “milagrosos” contra o Coronavírus, como a hidroxicloroquina. O médico infectologista Paulo Orlando Monteiro, servidor da Faculdade de Medicina, explica que a eficácia da substância exemplificada foi vista quando administrada somente em laboratório e em doses altíssimas. O mesmo pode ser dito, segundo o profissional da saúde, da ivermectina.

O médico intensivista do Hospital Escola da UFPel Edgard Ferreira, que integra a equipe da área dedicada a pacientes internados pela Covid-19, esclarece que a hidroxicloroquina até foi utilizada na casa de saúde no início da pandemia na região, mas que logo em seguida já caiu em desuso, seguindo as recomendações encontradas na literatura médica. A mesma atitude foi tomada por grandes hospitais, que incluíam a medicação em seus protocolos, mas que também os retificaram.

Essa retirada se deu pelo fato de que, com alguns meses da existência da epidemia, já foi possível a publicação de estudos com maior qualidade, incluindo grupos de controle, por exemplo, que não apontaram eficácia demonstrada nos ensaios iniciais. Por isso, os profissionais consultados são taxativos ao afirmar: ainda não há medicação segura para prevenir ou tratar a Covid-19. “Se existisse alguma comprovação, o mundo inteiro já estaria usando”, pondera Linhares.

Não fazer mal ou fazer bem?

Os três profissionais consultados afirmam ter visto alguns de seus colegas médicos receitando e até mesmo administrando em si próprios algumas dessas medicações. Um dos casos citados é o de um coletivo de médicos que publicou uma recomendação de uso de um coquetel de substâncias para uso precoce em pacientes contaminados pelo Coronavírus.

“Talvez prescrevam por pensarem que mal não faz”, afirma Ferreira. No entanto, Linhares aponta que, dentre os princípios da bioética, além da não maleficência – não fazer mal -, é preciso também pensar na beneficência – fazer bem. “Uma coisa é um indivíduo saudável usar. Mas se há alguma condição, pode trazer uma reação indesejada”, explica.

O infectologista Monteiro lembra que a hidroxicloroquina e a ivermectina são seguros, mas quando usados para os seus fins específicos, como a malária, no caso do primeiro, e a escabiose, no caso do segundo: “Em Medicina, não trabalhamos com ‘será’; o que não se sabe não se faz”. Por isso, destaca ele, sociedades médicas como as de Terapia Intensiva, Infectologia e Pneumologia estão publicando notas afirmando que o protocolo é não utilizar tais terapias.

Atualmente, o procedimento adotado é o de manutenção e acompanhamento: os pacientes internados são monitorados e recebem oxigênio por cateter ou respiradores quando necessário. No caso destes dois cenários, pode ser administrada a dexametasona, corticoide que já se provou útil – em estudos com grupos bem delineados, conforme destaca o intensivista Ferreira – em doentes que apresentem tais necessidades, reduzindo óbitos nos internados em UTI e reduzindo a necessidade de respiradores mecânicos nos que recebem oxigênio.

Os médicos também alertam para o perigo da automedicação: “Há um grande risco nessa atitude”, diz Linhares. Essa ponderação é compartilhada por Monteiro: “Alguns dos medicamentos podem se mostrar perigosos e, em combinações erradas, podem potencializar efeitos adversos”. Ferreira também lembra que o uso dessas substâncias como profiláticos pode levar a um descuido nos hábitos que seguramente combatem a infecção, como a higienização das mãos e superfícies, o distanciamento social e o uso de máscaras.

Partilhando conhecimento baseado em evidências

O Comitê Interno para Acompanhamento da Evolução da Pandemia da Covid-19 da Universidade Federal de Pelotas publicou na terça-feira (14) um alerta exatamente sobre o uso de medicamentos de eficácia não comprovada como política pública no combate à doença. Segundo o documento, o uso de tais princípios ativos contraria a boa prática científica ao não seguirem preceitos básicos da metodologia, colocando a população em risco. O alerta foi assinado, além de membros do comitê, por profissionais e pesquisadores da área da saúde.

Além disso, uma edição vindoura do projeto “UFPel Talks” promoverá um debate online sobre o tema “Medicamentos para Covid-19: existe a pílula milagrosa”, reunindo os pesquisadores Natália Pasternak (USP) e André Kalil (Universidade de Nebraska), mediados pelos professores André Fajardo e Marcelo Capilheira. A atividade ocorrerá no dia 23 de julho, às 18h, pela página da UFPel no Facebook.

Fonte: Universidade Federal de Pelotas

Super Safra entrega equipamentos de proteção individual para o Hospital São Luiz Gonzaga

(Foto: Jilvan Santos/Rádio São Luiz)

Empresa optou por destinar recurso que seria utilizado na comemoração do aniversário à saúde local

A empresa Super Safra, especializada em insumos agrícolas, entregou ontem (15/7), 80 conjuntos de Equipamentos de Proteção Individual (EPI’s) para o Hospital São Luiz Gonzaga. Os materiais são compostos por camisetas mangas longas e curtas e calças, que são utensílios utilizados na paramentação dos profissionais de saúde.

Conforme Silvio Dal Molin, gerente comercial da empresa, a equipe decidiu reverter a verba que seria realizada para organização de evento com clientes, por ocasião do mês de aniversário. A Super Safra está comemorando sete anos de atividade.

“Nós temos a satisfação de trabalhar em um ramo que não parou. Permanecemos ativos e produzindo muito. Acreditamos que com essa contribuição também estamos homenageando nossos clientes”, disse Silvio.

A Super Safra atua na região de São Luiz Gonzaga e Santiago.

Fonte: Rádio São Luiz

Boletim do Hospital São Luiz Gonzaga informa sobre a 11ª alta de paciente recuperada da Covid-19

(Imagem: divulgação)

Paciente recuperada é uma mulher de Santo Antônio das Missões

O Hospital de São Luiz Gonzaga divulgou na tarde desta quarta-feira (15/07), comunicado de número 23 informando sobre o estado de saúde de seis pessoas que estão internadas na “Ala Covid-19” e a 11ª alta de paciente recuperada da Covid-19. O documento é assinado pelo Diretor Técnico, Dr. José Renato Grisolia, e pela Interventora, Iria Diedrich.

“Em relação aos pacientes e capacidade instalada no Hospital, referente a COVID 19, informamos o que segue”:

– Paciente feminina, 80 anos, procedente de Santo Antônio das Missões, com comorbidades, necessitando de suporte de oxigênio. Lacen positiva.

– Paciente masculino com 77 anos, procedente de Pirapó, com comorbidades, necessitando de suporte de oxigênio. Lacen positivo.

– Paciente feminina de 32 anos, procedente de São Luiz Gonzaga, sem comorbidades e sem necessidade de suporte de oxigênio. Aguardando exame confirmatório.

– Paciente masculino de 70 anos, procedente de São Luiz Gonzaga, sem comorbidades, com diagnóstico clínico-epidemiológico altamente sugestivo, necessitando de suporte de oxigênio. Aguardando exame confirmatório.

– Paciente masculino de 60 anos, procedente de São Luiz Gonzaga, sem comorbidades, com diagnóstico clínico-epidemiológico sugestivo, necessitando de suporte de oxigênio. Aguardando exame confirmatório.

– Paciente feminina de 51 anos, procedente de São Luiz Gonzaga, sem comorbidades, com diagnóstico clínico-epidemiológico sugestivo, necessitando de suporte de oxigênio. Aguardando exame confirmatório.

– Hoje foi dada a nossa 11ª alta (paciente feminina de Santo Antônio das Missões).

Fonte: Hospital de São Luiz Gonzaga

Situação da COVID-19 e entrega de respiradores ao HSLG pautaram reunião do Executivo Municipal e 12ª CRS

Reunião ocorreu no Gabinete do Prefeito na última terça-feira. (Foto: Divulgação/Assessoria)

Encontro ocorreu na terça-feira (14), no Gabinete do Prefeito

Na terça-feira (14), o prefeito de São Luiz Gonzaga, Sidney Brondani, recebeu em seu gabinete o titular da 12ª Coordenadoria Regional de Saúde (CRS), Iury Sommer Zabolotsky. A reunião buscava discutir a situação da COVID-19 no município e as ações adotadas para o enfrentamento da doença. O encontro contou com a participação da secretária de Saúde, Clari Ramborger e do coordenador do Setor de Planejamento da 12ª CRS, Rodrigo Reis.

O titular da 12ª CRS informou que os hospitais de referência para o tratamento da doença – localizados em São Luiz, Santo Ângelo e São Borja – estão supridos de medicamentos e possuem um bom número de leitos disponíveis para o tratamento da COVID-19. Zabolotsky também parabenizou a administração do Hospital São Luiz Gonzaga (HSLG), pela organização no processo de aquisição dos medicamentos, investindo recursos do Governo Federal, Governo Estadual e do Consórcio Intermunicipal de Saúde.

RESPIRADORES

Durante a visita ao município, a comitiva da 12ª CRS também esteve reunida com a direção do HSLG. Na ocasião, ocorreu a entrega de três respiradores à instituição. Ao todo, 103 respiradores foram destinados pelo Ministério da Saúde ao Governo do Estado do Rio Grande do Sul, sendo que o HSLG recebeu três.

Na ocasião, o prefeito Sidney Brondani ressaltou a importância dos equipamentos para salvar vidas. “O aumento no número de respiradores disponíveis em nosso hospital é um suporte fundamental nas ações de enfrentamento à COVID-19. Claro, desejamos não ter casos graves a ponto de necessitar utilizar os respiradores. Mas precisamos estar preparados. Ainda estamos pleiteando o envio de mais cinco respiradores para o HSLG, oriundos do Governo do Estado”, afirmou.

O chefe do Executivo também ressaltou que as pessoas devem continuar seguindo as normas de higiene a fim de evitar a disseminação do vírus e proteger a saúde da população.

Fonte: Assessoria de Imprensa da Prefeitura de São Luiz Gonzaga

Novo decreto reitera protocolos da bandeira laranja em São Luiz Gonzaga

(Imagem: Divulgação)

Documento também ajusta medidas de acordo com os protocolos sanitários da 10ª rodada do Modelo de Distanciamento Social Controlado

A Prefeitura de São Luiz Gonzaga, por meio da Secretaria da Administração, publicou na manhã de terça-feira (14), o decreto municipal nº 5.642/2020, o qual reitera os protocolos da bandeira laranja citados no decreto 5.627/2020. O documento também ajusta algumas medidas de acordo com os protocolos sanitários da 10ª rodada do Modelo de Distanciamento Social Controlado do Estado do Rio Grande do Sul.

ALTERAÇÕES

Entre as principais alterações, as padarias foram incluídas como estabelecimentos comerciais essenciais, podendo funcionar com 75% dos trabalhadores, com atendimento presencial restrito e também nas modalidades de tele-entrega, pegue e leve e drive-thru. Os museus, bibliotecas, arquivos, acervos e similares podem funcionar com 25% dos trabalhadores por meio de teletrabalho, presencial restrito com atendimento na modalidade teleatendimento ou individualizado com agendamento (consulta local ou pegue e leve).

As academias de ginástica podem funcionar com 25% de seus trabalhadores e o atendimento deverá ser individualizado ou coabitante (mínimo de 16m² por pessoa). Os serviços de agências de turismo, passeios e excursões devem atuar com 25% de seus trabalhadores através de teletrabalho ou presencial restrito, com atendimento individualizado ou coabitante na modalidade teleatendimento.

A Administração Municipal ressalta ser fundamental que os estabelecimentos cumpram as regras de higienização estabelecidas pela Portaria nº 270/2020 da Secretaria Estadual da Saúde e respeitem o distanciamento definido pelas autoridades sanitárias. Os protocolos buscam evitar a disseminação da COVID-19 e preservar a saúde da população.

NOVAS MEDIDAS   

De acordo com o decreto nº 5.642/2020, os cursos de formação profissional, formação continuada, cursos preparatórios para concurso, treinamentos e similares podem funcionar com 50% de seus trabalhadores e 50% dos alunos, com atendimento presencial restrito ou teletrabalho. Os cursos também podem funcionar na modalidade remota, com atendimento individualizado ou em pequenos grupos, respeitando o teto de ocupação e utilização de material individual, conforme Portaria SES/SEDUC nº 01.

Os serviços de construção civil podem funcionar com a capacidade máxima de 75% de seus trabalhadores na modalidade teleatendimento e presencial restrito, conforme as Portarias SES nº 283 e 375/2020.

Confira na íntegra o decreto municipal nº 5.642/2020 – no qual constam mais informações sobre o funcionamento de estabelecimentos comerciais e serviços – por meio do link https://www.saoluizgonzaga.rs.gov.br/site/leis/71969-dete. Informações sobre os protocolos de funcionamento dos setores no Modelo de Distanciamento Social Controlado estão disponíveis no site https://distanciamentocontrolado.rs.gov.br/.

Fonte: Assessoria de Imprensa da Prefeitura de São Luiz Gonzaga com informações da SEMAD

A pedido de Turra, Goergen encaminha recursos para Santo Antônio das Missões e São Nicolau

(Foto: Divulgação)

Serão R$ 105 mil para Santo Antônio e R$ 100 mil para São Nicolau

Esta semana, o deputado Federal Progressista, Jerônimo Goergen, anunciou a indicação de R$ 105 mil de recursos da União, no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, para Santo Antônio das Missões. A indicação atende a um pedido do deputado Estadual, Sérgio Turra, também do Progressistas. “O partido tem unido forças para contribuir com setores estratégicos neste momento de crise, principalmente para colaborar com a saúde e a economia. A união das lideranças regionais, estaduais e nacionais estão sendo decisivas nesta tarefa”, disse Turra.

O valor será utilizado para auxiliar nas necessidades do setor Agropecuário do município. “O agro é um dos principais setores para o nosso Estado. Assim como quase todas as atividades, está sendo impactado pela crise do coronavírus. Por isso, não pode ser deixado de lado neste momento”, acrescentou Turra.

Na semana passada, também a pedido de Turra, e dos vereadores Progressistas, Leandro Nunes (Biduia) e Vineton Oliveira, Goergen já havia indicado e encaminhado R$ 250 mil, de emenda parlamentar, para Santo Antônio das Missões. O recurso foi utilizado para a compra de um rolo compactador.

Recurso para saúde de São Nicolau

No último dia 24, o parlamentar anunciou a destinação de R$ 100 mil para a saúde pública de São Nicolau. “Goergen tem sido um grande parceiro na luta de enfrentamento da pandemia e para a obtenção de recursos para os demais setores do Estado. Nossas cidades precisam de apoio para fazer frente ao imenso desafio de salvar o maior número de vidas possíveis, sem deixar de lado a economia”, avaliou Turra.

O valor será destinado para o custeio dos serviços de atenção básica em saúde de São Nicolau,  no que se refere ao diagnóstico e tratamento da Covid-19. Segundo Turra, a indicação atende ao pedido do vereador Rubens Vargas, também do Progressistas. “O partido tem unido forças para colaborar com o sistema de saúde. As articulações em conjunto com lideranças regionais, estaduais e nacionais estão sendo decisivas nesta tarefa”, disse Turra.

A transferência do recurso aguarda definições e tramitações do Ministério da Saúde junto ao município e deverá acontecer nos próximos dias.

Fonte: Assessoria de Imprensa

Santo Antônio das Missões registra 14 casos positivos da Covid-19

(Imagem: divulgação)

Mais dois casos de Covid-19 são confirmados pela Prefeitura de Santo Antônio das Missões. A divulgação foi feita pela Secretaria Municipal de Saúde, que registra, até o momento, 14 casos positivados da doença no município.

De acordo com a secretária Arriete Pereira, as pacientes são mulheres – 32 e 51 anos. Elas estão sendo acompanhadas pela equipe de profissionais da Secretaria Municipal de Saúde.

A Saúde reforça que o distanciamento social é a melhor forma de prevenção, e orienta que as pessoas só devem sair de casa se necessário, e que ao sair, usem máscaras e lavem as mãos com frequência.

Saiba como prevenir a doença

Segundo o Ministério da Saúde, as recomendações de prevenção à COVID-19 são as seguintes:

– Lave com frequência as mãos até a altura dos punhos, com água e sabão, ou então higienize com álcool em gel 70%.

– Ao tossir ou espirrar, cubra nariz e boca com lenço ou com o braço, e não com as mãos.

– Evite tocar olhos, nariz e boca com as mãos não lavadas.

– Ao tocar, lave sempre as mãos como já indicado.

– Mantenha uma distância mínima de cerca de 2 metros de qualquer pessoa tossindo ou espirrando.

– Evite abraços, beijos e apertos de mãos. Adote um comportamento amigável sem contato físico, mas sempre com um sorriso no rosto.

– Higienize com frequência o celular e os brinquedos das crianças.

– Não compartilhe objetos de uso pessoal, como talheres, toalhas, pratos e copos.

– Mantenha os ambientes limpos e bem ventilados.

Evite circulação desnecessária nas ruas, estádios e igrejas. Se puder, fique em casa.

– Se estiver doente, evite contato físico com outras pessoas, principalmente idosos e doentes crônicos, e fique em casa até melhorar.

– Durma bem e tenha uma alimentação saudável.

– Utilize máscaras caseiras ou artesanais feitas de tecido em situações de saída de sua residência.

Por Tardelli Portela – Assessor de Imprensa da Prefeitura de S.A Missões